Será o 1986 de Messi?

Leia o post original por Mauro Beting

A Argentina tem o time mais velho da Copa – como a Itália, em 2006.

A Argentina, entre as finalistas, tem a tabela com menos desgastes físicos pelo calor brasileiro.

A Argentina não tem uma defesa tão confiável quanto o ataque.

Mas ninguém tem Messi como eles. Por mais que ele não tenha sido Messi em 2010, e ainda menos em 2006.

Maradona também não foi Diego, em 1982. Armando no ataque ele foi Dios, em 1986.

O maior campeão individual de todas as Copas.

Garrincha foi demais em 1962, mas em um grupo já campeão do mundo.

A Argentina só foi campeã, em 1986, por ser o time que podia escalar Maradona no México.

Ele é o maior ídolo dos argentinos.

Pelé é “apenas” o rei para os brasileiros e para o mundo. Diego é Dios para os argentinos.

Ninguém vai representar tão bem o espírito argentino como ele. Honrar a história da camiseta como ele.

Mas eu não vi neste planeta – Pelé é de outro – um gênio como Messi.

Maior que todos da era do teipe (1960). Vi filmes de Puskás, Di Stefano, Garrincha (outro que é de outra galáxia), Cruyff, Charlton, Best, all the best.

Nunca vi nada como Messi.

Se ganhar esta Copa, a mais próxima de seu auge, superará Maradona em quase tudo – menos no amor da gente platina.

Maradona é muito mais argentino que todos.

Messi é muito mais craque que todos.

Se ganhar a Copa que pode vencer pela Argentina, encerra muitas discussões.

Se não ganhar, azar da Copa.

Sorte nossa.

Ainda mais por não viver grandes momentos, por conta de fase incerta do clube, e de lesões não muito usuais para ele.

(mais ou menos como Pelé em 1970 antes da Copa, mais ou menos como Diego em 1986…)

 

Oremos…