Jogo para agradar Juvenal põe planejamento de Felipão em xeque

Leia o post original por Perrone

Há meses, Felipão diz que a torcida brasileira pode ficar tranquila porque o planejamento da seleção brasileira para a Copa do Mundo foi muito bem feito.

Porém, o amistoso contra a Sérvia, nesta sexta, no Morumbi, coloca esse discurso em xeque. Primeiro porque o treinador admitiu nesta quinta-feira que não queria neste momento um adversário que jogue duro como a Sérvia. Preferia ter enfrentado os sérvios antes e uma equipe mais fraca agora. Sem entrar em detalhes, afirmou que não foi possível fazer os jogos da forma como ele queria. Deu para notar que Scolari teme que seus jogadores se machuquem numa dividida com os sérvios.

O segundo problema é que Felipão preferia jogar em outro Estado, como ele mesmo disse em sua entrevista coletiva, antes de deixar a Granja Comary rumo a São Paulo. Ele teme o indócil público paulista, que costuma vaiar a seleção.

Pelo relato do treinador, Felipão teve que obedecer a José Maria Marin, presidente da CBF e que escolheu o Morumbi como palco do amistoso. Marin quis homenagear Juvenal Juvêncio com o jogo no Morumbi, segundo o ex-presidente do São Paulo. A escolha foi feita em período eleitoral, quando o presidente da CBF estava em campanha por Marco Polo Del Nero, presidente eleito da CBF e que assumirá o cargo em 2015. Assim, o desejo político prevaleceu sobre o planejamento de Felipão, que ficou de mãos atadas diante do chefe.

O blog não conseguiu localizar Marin para falar sobre o assunto. Del Nero não atendeu ao celular.