Vai ter pacto?

Leia o post original por Mauro Beting

Você que atira pedra em táxi com bandeira do Brasil para a Copa.

Você motociclista que arranca bandeirinha verde-amarela de carro e de outra moto.

Você que xinga mulher que está com bandeira que comprou para os filhos.

Você que queima bandeira do Brasil.

Você que grita pelos desmandos, mamadas, paus mandados, pedras manjadas e injustiças do Brasil.

Você que tem mais razões e consciência do que os tantos que sentam os traseiros flácidos nos sofás na frente das novas TVs de LED ou nas velhas que a aposentadoria permite.

Você que berra pelos burros que tudo acreditam ou em todos desacreditam.

Você que é muito mais cidadão que torcedor.

Você que ajudaria a fazer um Brasil muito melhor se mais gente cobrasse as autoridades como cobramos o treinador da Seleção.

Você tem suas razões. Tem seus métodos muito discutíveis.

Mas deixe quem tem suas emoções também extravasar.

Até por que muitos também pensam como você. Mas não destroem o construído – ainda que superfaturado e hiper atrasado.

Futebol pode ser ópio do povo. Do povo que elege ímpios e não costuma dar um pio a não ser em jogo da Canarinho.

Mas o brasileiro se levantou sem ser apenas para gritar gol ou fritar perdedor.

Intolerante da rua, seja um cidadão um pouco mais tolerante.

O talibanismo anticopa e anticorpos pró-futebol não vai mudar a vida de quem ama.

A vitória é da Seleção, não do Brasil. A Copa é para o mundo, não só para o Brasil.

Espero em 2014 tudo que se esperava desde 2007, quando se oficializou o que se sabia desde 2003: será uma festa para muitos a farra que já foi para poucos.

O legado que vai ficar como conta para os netos, os alegados atrasos que só delegados poderiam resolver na copa dos capos.

A seleção pode ganhar o hexa, mas o Brasil já perdeu a Copa. Perdemos a chance de fazer um Mundial para os brasileiros, e não uma Copa do patrão Fifa – patrão mesmo, que o nosso padrão é pedir perdão no pinico.

Mas eu sigo torcendo aqui ou no Haiti pelos caras que vestem amarelo. Não por quem se aproveita da vitória deles.

Brasil campeão é o brasileiro vencedor. Não um braseiro para queimar gente.

Não é a Dilma. Aécio. Eduardo. Marina. Eymael. Marin. Sei lá quem vai ganhar ou perder com as partidas ganhas pelo partido de Neymar.

Brasil campeão é a pedra campeã. O vidro estilhaçado campeão. A bandeira desfraldada. A bandeira rasgada. O intolerante. O alienado. O engajado. O enganado. Você. Eu.

Mas não esgane. Não engasgue.

Vitória da Seleção é mais que um jogo. Não jogue fora.

Discuta a Copa. Combata a Copa. Cobre a Copa. Vaie a Copa.

Mas jamais cobre quem ama.

Jamais quem vive a Copa.

Importante é competir. Conviver. Compreender.