Fernandão foi mais que um ídolo

Leia o post original por Pedro Ernesto

Fernandão deixou marcas muito profundas em todos nós. Não foi apenas o jogador, o capitão, o goleador, o grande ídolo que nos deixou. Ele foi mais do que isto. Foi uma pessoa amável, diferenciada, um chefe de família exemplar. Na terça-feira passada o encontramos no Serra Dourada. Ele nos chamou – Wianey, Diogo Olivier e eu – e tivemos uma agradável conversa com ele por uns 15 minutos.

Foi ao estádio ver a Seleção Brasileira golear o Panamá, ao lado de seus filhos. Estava cheio de projetos pessoais, e o que mais falava era a oportunidade de comentar seis jogos da Copa do Mundo pela Sportv.

Já vi muitos ídolos que eram pessoas desagradáveis. Não era o caso do Fernandão. Em sua curta existência, ele se completou. Tratou de sua família, de sua profissão e de seus amigos com a mesma grandeza. Não é a toa que colorados se mobilizaram, fizeram missa, lotaram as redes sociais. Ele merecia tudo isto e muito mais.

Novelleto

Era madrugada de sexta para sábado e o presidente da Federação Gaúcha de Futebol, Francisco Novelleto, ligou para a Rádio Gaúcha pedindo para entrar no ar e transmitir a trágica notícia. Novelleto foi sócio de Fernandão em um restaurante de Porto Alegre e se tornou seu grande amigo. A família do ex-jogador, logo que soube de sua morte, entrou em contato com Novelleto para que ele transmitisse a notícia. Depois, ele viajou para Goiás e ficou todo tempo confortando os familiares.

Preocupações

Os amistosos da Seleção Brasileira deixaram algumas preocupações. A maior delas está no goleiro Julio Cesar. Ele declarou que jogou seis partidas este ano e sofreu nove gols em seu time. É muito pouco jogo. Nos amistosos da Seleção, deixou claro que está sem tempo de bola. Isso que foi pouco exigido.

A outra preocupação é Fred. Ele fez um gol de centroavante contra a Sérvia, mas, fora isso, fez quase nada. Parece um jogador fora de ritmo. Logicamente, os testes em amistosos não mostram tudo, mas nos deixam desconfianças importantes.

Giuliano

Vou torcer para estar errado, mas duvido muito que o Grêmio consiga a contratação desse grande jogador. Giuliano é o jogador que arruma time. Sua capacidade de ser um homem de meio-campo e, ao mesmo tempo, marcar gols, é quase igual. Seria um reforço maravilhoso.

Só que Giuliano tem ainda um ano e meio de contrato, e o Dinipro nunca quis que ele saísse de lá. Já é a segunda vez que o Grêmio busca a contratação desse jogador. Para meu gosto, ele poderia estar na Seleção Brasileira.

É demais

A Seleção Brasileira poderá encontrar alguma dificuldade na quinta-feira, em seu jogo de estreia na Copa do Mundo, contra a Croácia. É um time forte, com muitos jogadores que atuam em equipes importantes da Europa. Depois, contra México, em Fortaleza, e Camarões, em Brasília, a tendência é de vitória tranquila. Não são seleções de qualidade. O México já nos aprontou, mas neste momento joga um futebol de pouca qualidade e quase não foi classificado para o Mundial. Camarões é um time africano. Quase sempre só passeia nos mundiais.

É de menos

As greves oportunistas como a do metrô em São Paulo podem ser o grande problema desta Copa que começa esta semana. Os sindicalistas sabem que o transtorno em muitas funções fundamentais para a sociedade podem causar sérios problemas, fazendo com que governo e patrões atendam reinvindicações importantes e maiores do que o desejável.

Na Copa da África do Sul já foi assim. Muitos problemas se deram em função desses movimentos. Sexta feira, em função da greve dos metroviários, São Paulo viveu seu maior congestionamento na história. Foi um verdadeiro caos.