Ufa! Foi difícil, mas merecido

Leia o post original por celsocardoso

Marcelo Ferrelli/Gazeta Press

Marcelo Ferrelli/Gazeta Press

O prognóstico de um jogo difícil se confirmou. Primeiro, pelo nervosismo comum às estreias; segundo, pela qualidade do adversário. O time croata, como se esperava, diminuiu os espaços, marcou forte e explorou os contra-ataques. Foi assim que saiu o primeiro gol – contra, de Marcelo – após cruzamento de Olic logo no começo do jogo.

Por pior que seja a sensação de estar em desvantagem, foi a partir daí que pudemos avaliar a força psicológica e a maturidade desta renovada equipe comandada por Felipão. O abatimento durou pouco tempo. Logo foi ofuscado pela disposição. Disposição que transformou Oscar no melhor da partida. Foi ele quem lutou contra três croatas pra roubar a bola e servir Neymar que, preciso, acertou o cantinho do gol pra empatar.

No segundo tempo… Bem, veio o pênalti no Fred que, convenhamos, não existiu. Talvez seja fruto da consciência pesada deste mesmo árbitro por não ter marcado um sobre Kaká, no jogo contra a Holanda, pelas quartas de final da Copa da África do Sul.  Neymar, que nada tem a ver com isso, fez a parte dele, cobrou e virou o jogo.

E quando as coisas começavam a se complicar, Ramires foi quem roubou a bola pra entrega-la a Oscar que, de bico, fez o terceiro, coroou com gol uma bela jornada e selou a difícil vitória. Os 3 a 1 não revelam o que foi o jogo, mas o importante é que o mais difícil, pelo menos nesta fase, já passou. Contra México e Camarões, seleções teoricamente mais fracas que a Croácia, devemos ver um time brasileiro bem mais leve e contundente.