Derrota para Costa Rica destrói marca histórica de Diego Lugano

Leia o post original por blogdoboleiro

Era para ser uma estreia tranquila e uma comemoração especial para Diego Lugano, que entrou como capitão do Uruguai pela segunda Copa do Mundo consecutiva,  igualando a Marca de Obdulio Varela e Horácio Troche. Mas o zagueiro ídolo dos torcedores do São Paulo teve que deixar o gramado da Arena Castelão com uma sensação ruim. “A gente sabia que seria um jogo igual, mas acabou sendo um resultado fatal”, disse.

A Costa Rica bateu os uruguaios por 3 a 1 e desmontou a estratégia uruguaia de preservar o atacante Luis Suarez para o segundo jogo do grupo D, contra a Inglaterra. Agora, enfrentar os ingleses virou uma questão de vida ou morte. E o técnico Oscar Tabarez vai se ver na obrigação de sair para o jogo, colocar seu principal atacante em campo meio baleado.

Mas deve ser melhor para Luis Suarez jogar do que acompanhar no banco de reservas o que aconteceu neste sábado. Ele viu a Costa Rica, em dois minutos, sair de uma derrota por 1 a 0 para uma virada por 2 a 1, com gols de Campbell e Duarte. No final, Ureña ampliou para 3 a 1. “Sentimos falta de pernas no final”, admitiu o capitão Lugano.

Como não poderia deixar de ser, os jornais uruguaios – em suas edições eletrônicas – acusaram o golpe da “zebra”: “Como se sofre!”, estampou a edição de esportes do El País. Não foi uma festa como Lugano gostaria de ter, com sua marca histórica de capitão depois de 15 anos de seleção do Uruguai.