Argentina 2 x 1 Bósnia. Ele está entre nós. Ou não?

Leia o post original por Mauro Beting

Messi…

Um lance de Messi que deu em nada, aos 44min. E só, no opaco primeiro tempo argentino.

#ReflexõesNelsonRubens: o Maradona zica mais o Messi do que o Ronaldo zica o Klose.

Até 19min12s do segundo tempo era isso. Ou nada disso contra o bom time europeu.

Mas, daí, limpou, tabelou, passou por um, por outro, bateu de canhota saindo do goleiro, a bola beijando na trave, e ele entrando na Copa.

Ele.

Agora, o jogo.

Com 2min já tinha um nome para o brasileiro imprecar: o lateral-esquerdo da Bósnia que fez um gol contra e abriu o placar para o time de impressionante torcida no Maracanã.

A Bósnia só não empatou em seguida pela saída boa de Romero, corrigindo mais um erro da preocupante zaga argentina. Jogue com dois, três ou 74 na defesa. E teve ainda uma senhora defesa aos 40, em cabeçada de Lulic.

Sabella optou por um time fechado demais. Ou um pouco mais protegido por não confiar em nenhum dos zagueiros. Sem a bola, o 3-3-2-2 argentino virava um 5-3-2 com a rápida recomposição defensiva argentina.

Com menos de meia hora, mais na frente estava a Bósnia. Messi errava quase tudo, Aguero muito afundado, Di María discreto, os alas com as dificuldades de praxe para sair para o jogo. A melhor chance argentina foi um chute de longe. De Mascherano…

Um pouco mais de ousadia e a Bósnia poderia ter feito mais estragos no Rio. Mas faltou a mesma disposição que também pareceu faltar aos hermanos. A Argentina estava leeeeentaaaaa. Leeeeeerdaaaaa no primeiro tempo arrastaaaado. Mas de bom nível pela boa partida da Bósnia.

SEGUNDO TEMPO

Sabella voltou com o time usual. E, por ora, ideal, com Higuaín na frente, três no meio (Gago entre eles), e uma linha de quatro na zaga.

Mas a Bósnia era melhor. Ainda melhor. Chegando mais vezes, criando mais vezes, passando à frente no 4-2-3-1 bem ajeitado. Faltava alguma coisa ao time europeu.

Como faltava demais ao sul-americano até…

Ele.

É pouco ainda. Muito pouco.

Mas ele está entre nós.

Celebrando gol com a paixão de Dios.

A Bósnia ainda buscou. Com Ibisevic ao lado de Dzeko, a velha dupla funcionou e diminuiu o placar, aos 38 minutos.

Mas não deu.

Perdeu.

Agora, todos os 76 países que disputaram Copas perderam ao menos uma vez.

Mas, certamente, só tem a ganhar quem puder seguindo a melhor Copa desde o Mundial de 1986.

Ambiente muito legal no Maracanã – como em quase todos os estádios. Torcida argentina fazendo a belíssima festa de sempre, e a brasileira, com muito humor, com muito amor, também, na música de praxe.