2º round do Brasil – Luta equilibrada termina empatada

Leia o post original por Mion

Fernandinho e Hernanes podem melhorar qualidade da meia-cancha da seleção.

Fernandinho e Hernanes podem melhorar qualidade da meia-cancha da seleção.

O goleiro Guilhermo Ochoa fez a diferença. Quatro defesas sensacionais que determinaram a igualdade em 0 a 0. Entretanto a essência do jogo entre Brasil e México não seria diferente caso a seleção comandada por Scolari vencesse, ao contrário, apenas continuaria tapando “sol com a peneira”. A seleção brasileira peca por falta de qualidade na meia-cancha. Luis Gustavo, Paulinho, Ramirez e Oscar gastaram muita energia correndo atrás de Herrera, Vásquez, Guardado Layún e Giovani dos Santos. A melhor qualidade mexicana tirou qualquer poder de reação.

O mesmo aconteceu diante da Croácia, Rakitic, Kovacic, Olic e Modric deitaram e rolaram. A penalidade inventada pelo árbitro japonês e segundo gol tiraram os croatas do eixo e aí ficou fácil fazer o terceiro. O placar de 3 a 1 serviu para mascarar a fragilidade da seleção. No jogo de ontem, Felipão tentou consertar sacando Hulk e aumentando o poder da meia-cancha com a entrada de Ramirez. Infelizmente escolheu o jogador errado. Fernandinho tem mais qualidade técnica e consegue variar o ritmo da saída de bola. Ramirez carrega a bola, sai em velocidade e verticaliza o jogo. Assim o Brasil ficou com três jogadores com a mesma característica ou seja não sabem trabalhar a bola, inverter jogadas, no caso Ramirez, Oscar e Paulinho.

Felipão terá que tomar providências radicais. A fase de grupos permite certos desvios de rumo principalmente nos dois primeiros jogos. Diante de Camarões não só a classificação estará em jogo, mas também será definido o destino da equipe que oscila entre o sucesso e fracasso. Mudanças são necessárias. A partir das oitavas pegará seleções mais fortes, repito o que venho dizendo e escrevendo há alguns meses: com a falta de talento e qualidade técnica não dá para jogar com dois alas e três atacantes. Parece que Scolari está consciente disso. Tirou Hulk e colocou Ramirez formando o tradicional 4-4-2.

O segundo passo será optar entre saída de Daniel Alves ou Marcelo. Tomara que opte pelo lateral-esquerdo. Acha que joga muito mais do que realmente joga. Daniel mostrou mais consciência está marcando mais. Enquanto os times adversários deitam e rolam nas costas de Marcelo. Na meia-cancha entrada de Fernandinho no lugar de Paulinho melhora saída de bola e dá mais versatilidade técnica, também a entrada de Hernanes que além de marcar vai auxiliar Oscar nas armações de jogadas. No ataque, talvez seja mais produtivo tirar Fred e colocar Hulk no comando. Se mexe mais, tem força e chuta da entrada da área. Assim vejo como mais viável a escalação brasileira para o 3º round da Copa com Júlio César, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luis e Maxwell; Luis Gustavo, Fernandinho, Oscar e Hernanes; Hulk e Neymar. Caso encaixe, a equipe estará mais bem distribuída e qualificada tecnicamente para encarar as oitavas-de-final. Agora se pifar diante de Camarões, Felipão e sua família vão necessitar de muitos pênaltis e faltas para avançar na competição. Viva a bola parada!