Espero que o Brasil volte a jogar bola

Leia o post original por Pedro Ernesto

Espero que o Brasil comece a jogar um bom futebol hoje aqui em Brasília. Espero que nossos laterais – Daniel Alves e Marcelo – consigam atuar como em seus poderosos clubes. Espero que Paulinho tenha se lembrado dos bons jogos que realizava no Corinthians. Espero que Hulk volte a ter a intensidade que mostrou na Copa das Confederações.
Espero ainda que Fred tenha aproveitado o tempo depois das duas péssimas atuações que teve e consiga marcar algum gol. Do Neymar espero apenas que seja o Neymar de sempre. Se tudo isto acontecer, o Brasil faz goleada em Camarões e segue com confiança na Copa do Mundo.

Uma nota só
Quem assistiu aos jogos do Brasil e da Argentina viu uma semelhança muito forte entre as duas seleções. No Brasil tudo passa por Neymar, e na Argentina tudo passa por Messi. Isso é suficiente para a primeira fase. Apesar de jogarem muito, pouco conseguem ir levando.
No entanto, logo depois tem a fase eliminatória e adversários mais qualificados. Vão precisar mais. Muito mais. As duas seleções estão preocupando seus torcedores.

Porto Alegre
Nós porto-alegrenses não podemos nos queixar. O terceiro jogo entre Argélia e Coreia do Sul era encarado como o patinho feio dos cinco jogos da Copa do Mundo no Beira-Rio. Dentro do campo de jogo foi um espetáculo. Uma partida de seis gols, de muita movimentação, que, inesperadamente, foi de muita qualidade. Ainda temos dois jogos. Ou seja, muitas emoções ainda estão reservadas para a capital gaúcha.

Risco
O número de argentinos que vai estar em Porto Alegre ninguém sabe precisar. Todos concordam que não será menor do que 50 mil, podendo passar dos 100 mil torcedores. A maioria sequer tem ingresso. A Fifa sabe que é jogo de alto risco entre Argentina e Nigéria.

Teremos o reforço de 600 policiais para cuidar de tudo. Para se dar uma ideia do que é esse reforço, ele é igual ao número de policiais de um Gre-Nal. Não é pouco, mas o risco de desordens é muito grande.

Demais
As seleções sobre as quais pouco se esperava têm sido a nota marcante desta copa. Costa Rica é o maior de todos os destaques. Bateu forte no Uruguai e na Itália. A Colômbia faz grandes festas com 40 mil torcedores e dentro do campo despacha seus adversários.
O Chile, segundo os próprios chilenos, tem a melhor geração de jogadores da história. E ainda tem Jorge Sampaoli, um treinador revolucionário e inquieto. Pode ser adversário do Brasil. O Irã encarou a Argentina, Gana empatou com a poderosa Alemanha. Até onde vão, não sei. Mas que estão surpreendendo isso é verdade.

De menos
O grande problema da Copa está localizado nas arbitragens. O nível é desesperador. Não cabe aqui enumerar os erros por não haver espaço. Em quase todos os jogos são cometidos equívocos inaceitáveis. Me dá saudade até do Gaúchão. Posso afirmar que os árbitros gaúchos erram muito menos do que seus colegas da Fifa, que comentem absurdos na competição mundial.

clic-do-dia-pedro

AFP

Clic do Dia
Na Copa do Mundo há espaço também para o romantismo. Que o diga o meia belga Witsel que, terminada a partida entre a sua seleção e a russa, correu em direção ao público e comemorou com um beijo em sua namorada.