Nem zebra, nem surpresa, Neymar!

Leia o post original por michellegiannella

Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Terceira apresentação da seleção brasileira. O jogo tão aguardado era a hora da verdade. Afinal de contas, o Brasil foi nota seis contra a Croácia, deixou a desejar contra o México e precisava de uma aparição mais consistente. Não foi a baba que todo mundo esperava, mas o 4 a 1 contra Camarões deu ânimo ao time e confiança ao torcedor. No entanto, os problemas ficaram mais evidentes e as soluções também.

No primeiro tempo, a seleção de Felipão percebeu que a pegada dos adversários não seria fácil. Os africanos estavam com o orgulho ferido e pouco espírito esportivo, Neymar que o diga, foi provocado e deu a melhor resposta de todas, um show de futebol e duas bolas na rede. Foi o melhor em campo, correu, desarmou, marcou, e graças a Deus Felipão tirou ele no meio do segundo tempo. O menino já tinha feito demais.

Fred, apesar do gol, não dá. Lento, sem tempo de bola, precisa sair. Já é a terceira partida que não mostra a que veio. Se bem que no segundo tempo, com a saída de Paulinho (que também está muito mal, errando passes, parece pesado e sem estrela) e a entrada de Fernandinho, até ele se saiu melhor.

Mas vamos falar dele: Fernandinho. Por favor, Felipão, deixa esse menino titular! Alguém finalmente melhorou o meio de campo brasileiro, deu agilidade aos passes e mais ligação às jogadas. Além de tudo, fez um gol. Pronto, é o cara que precisamos, ainda mais quando Paulinho já está na terceira partida muito mal.

Ok, que venha o Chi chi chi, le le le! Não vai ser fácil, mas as deficiências ficaram evidentes e agora as coisas podem melhorar mesmo. Vai Brasil!

P.S: Hoje a torcida chilena me emocionou muito ao cantar em alto e bom som o hino nacional. A capela foi de arrepiar. Lindo demais! Pena que perdeu da Holanda.