Giba

Leia o post original por Mauro Beting

Estou na cabine da belíssima Arena das Dunas para o jogaço entre Itália x Uruguai.

Lendo o FB da amiga Alessandra do Valle, lamentando e não acreditando na ausência do pai Luciano nesta Copa.

Acabei de postar a mensagem:

Alessandra, saiba que para TODOS NÓS, cada arremesso lateral de todo jogo da Copa tem o Luciano entre nós. E não só na Copa. Em cada lance do esporte. E não só no esporte. Na nossa vida. Crescemos ouvindo o Lu. Crescemos ainda mais convivendo com ele. Eterno, amiga. Eterno.

Acabei de compartilhar no whatsapp da minha família um videozinho mostrando o belo estádio de Natal. Querendo minha famiglia aqui comigo. Minha mãe. Meu pai que, sei, assim como o Luciano do Valle, está conosco. Sempre.

E agora meu querido colega e amigo Marco de Vargas me fala da morte de Giba, lateral campeão brasileiro pelo Corinthians, em 1990.

Jogador correto, eficiente no apoio, bom na defesa. Em 1991, esteve com Parreira na Seleção. Desde então o conheço. Ótimo papo. O maior caipirês da história. Treinador de bom nível. Sério. Até demais.

Sujeito do bem. Esforçado. Trabalhador.

Aos 52 anos nos deixa.

E me deixa aos 47 anos sem palavras, enquanto já estou no ar pelo Fox Sports, preparando a transmissão.

Como ele deixou os corintianos sem fôlego em dezembro de 1990. Ele e mais 10 bravos guerreiros que venceram duas vezes o favorito São Paulo em 1990. O lateral que viera discreto do Guarani vestia a camisa dois campeã do Brasil pela primeira vez.

Fazia história. E nela fica para sempre.

Morreu muito, muito cedo.

Mas quem diz que alguém que jogou ao lado dos bravos Ronaldo, Marcelo, Guinei, Jacenir, Márcio, Wilson Mano, Tupãzinho, Mauro, Fabinho e Neto nos deixa assim?

Não foi o melhor time do Corinthians. Não foi mesmo. Nem mesmo foi o melhor time de 1990. Mas foi o grande campeão brasileiro da temporada.

Poucas equipes foram tão corintianas para reverter expectativas, prognósticas e lógicas.

Poucos times foram tão corintianos como aquele time do Giba.

Valeu, campeão.