Mondragón favorito

Leia o post original por Mauro Beting

Oscar Córdoba foi o melhor goleiro colombiano que vi. Aquele do Boca Juniors multicampeão da Libertadores. Companheiro de Fox Sports, ele tem 44 anos. É ótimo comentarista. É oito meses mais velho que Faryd Mondragón. Goleiro que jogou pouco mais de 10 minutos na vitória da Colômbia contra o Japão. Estabelecendo o recorde de mais velho atleta a atuar em uma Copa.

No visual, Córdoba parece estar em melhor forma que Mondragón, até por ser mais baixo. Poderia, digamos, estar jogando, não comentando.

Mas é de ficar sem comentários a cara de emoção de Mondragón quando entrou e saiu de campo. Homenagem da comissão técnica que inspira todos os companheiros. E até os rivais. Curioso que, em 2006, o ainda mais eterno Rogério Ceni foi a campo no terceiro jogo da Copa, contra o Japão, também goleado, nos minutos finais, apenas para jogar alguns minutos em uma Copa.

Mondragón não apenas bateu um recorde pessoal com esses poucos minutos para quem tem tantos anos em campo. Estabeleceu um sorriso e uma lágrima que inspira jovens dos 8 aos 80. A emoção infantil do sonho realizado é de tocar crianças de todas as idades.

Quando digo que estou fazendo a minha 11a copa desde criança como criança é com o mesmo espírito e emoção de Mondragón.

É isso.