Punição exagerada de Suárez parece ação de marketing, não de justiça esportiva

Leia o post original por Vitor Birner

De Vitor Birner

Pseudo justiça

A punição de 9 jogos e mais quatro meses de banimento do futebol imposta pela Fifa ao atacante Suárez é absurda.

Respeito as opiniões de quem acha certo a entidade decidir no seu tribunal mudar aquilo que o árbitro viu, ou não, durante os 90 minutos.

Os jogadores entram em campo em busca de resultados.

Eis o cerne da questão.

Não há outro motivo esportivo para um time de futebol disputar os jogos de competições importantes.

A punição no dia seguinte ao confronto não muda o placar.

Ela é vazia do ponto de vista do esporte e interessante para quem adora populismo barato.

Satisfaz parte do público sedenta por uma resposta e, se o caso tiver impacto como o de Suárez e Chiellini, aumenta o espaço do futebol na mídia, situação bem interessante comercialmente.

Vi pessoas que não têm interesse em futebol discutindo o lance.

A Itália, primeira interessada na questão, pois ela estava envolvida na disputa esportiva, não pôde usufruir da vantagem futebolística para obter o resultado que necessitava e nem receberá qualquer tipo de indenização legal.

Tenho extrema dificuldade para ver justiça neste caso.

Lembro que a Fifa é uma entidade muito preocupada com dinheiro e poder, que apenas usa o futebol para atingir seus objetivos.

Você escolhe qual lado apoiar neste jogo.

O do esporte pelo esporte, ou o da priorização dele para fins comerciais e políticos.

Aprovo

Sou favorável ao uso da eletrônica durante os 90 minutos.

A realidade do mundo sequer deixa opção para quem não gosta da ideia.

Neste Big Brother em que o futebol se transformou, os torcedores veem  na televisão coisas que a arbitragem não conseguiu enxergar.

Os erros no cumprimento das regras viram notícia logo após o apito final.

E o clamor público por uma resposta legal, seja com fins construtivos ou pelo tradicional, antigo e nocivo desejo de vingança travestido de justiça, ganha força.

Se a Fifa pretende usar tais recursos para mudar decisões do árbitro, o correto é fazê-lo durante os jogos.

Desta forma, a justiça poderá ser exercida também do ponto de vista do esporte e não apenas para satisfazer interesses outros.

Fundamental:

A milionária entidade tem que montar comissões especificamente especializadas em arbitragem e leis do esporte, e elas precisam avaliar todos os lances dos jogos da Copa do Mundo após terminarem.

Não pode pegar apenas lances que ganharam destaque na mídia e juntar uns gatos pingados lá da turma dela para julgá-los.

Tem que ver tudo de todos os confrontos.

Também necessita de câmeras de televisão posicionadas em todos estádios da mesma maneira para conseguir cumprir o objetivo de maneira correta.

As regras do futebol devem ser iguais para todos times na mesma competição durante os 90 minutos e depois deles.

Como posso cogitar a chance de existir justiça se um sujeito dá cotovelada de propósito, não é expulso e nem punido, e o outro que faz o mesmo é punido?

Basta ver de novo Uruguai x Itália com bastante atenção e a Fifa achará mais atletas para suspender.

Aliás, se assistir aos outros jogos vai encontrar diversos casos de destempero, provocação e alguns de agressão, todos sem reação da arbitragem.

Se a ideia é fazer justiça no esporte e não marketing do futebol, terá bastante trabalho.

Exagero conveniente

Nove jogos e quatro meses de punição para Suárez foi uma das decisões mais grotescas que vi até hoje no futebol.

Suárez, desequilibrado na parte emocional ao lidar com provocações, reagiu de maneira explosiva, mas sem a intenção de machucar gravemente o adversário.

Explodiu e perdeu a sanidade por segundos.

Tinha que ser suspenso se a ideia realmente for o uso das imagens, mas a punição deveria ter sido muito mais branda.

Leonardo arrebentou a cara de Tab Ramos, que não teve chance de se defender e fraturou o maxilar, e foi suspenso por 4 jogos no Mundial de 1994.

Naquele campeonato, Tassoti com ação similar tirou sangue do atacante Luis Enrique, continuou em campo e depois foi punido com 8 jogos de suspensão.

Por que Suárez recebeu a maior pena da história em Copas do Mundo e terá sua carreira como atleta de clube prejudicada neste momento em que Real Madrid e Barcelona desejam contratá-lo?

O tamanho da pena para Suárez vai gerar mais polêmicas como a Fifa quer.

Manterá a audiência do futebol da Copa do Mundo fora dos jogos alta e até aumentá-la.

Basta ver que estamos aqui, eu e você, praticamente sem opção se não quisermos abandonar a paixão pelo futebol, tratando do assunto.

Ser humano desprezado

A Fifa devia exigir que o jogador procurasse auxílio de um psicólogo, caso não frequente a terapia.

Mas o ser humano não parece gerar muitas preocupações aos cartolas.

Ficam em segundo ou terceiro plano, ou em plano algum como neste caso.