Joel tá de brincation com todos

Leia o post original por Mauro Beting

Sou dos que acham que quem se leva muito a sério não merece ser levado nada a sério. Ainda mais neste país. Quem se acha se perde nestes trópicos. E em todo o planeta.

No aeroporto de Brasília, a estrela da propaganda não é Neymar ou Felipão. Não são os consolidados craque do hexa e treinador do penta – e do hexa, oremos.

É o ex-treinador da África do Sul. O da entrevista do Machego im dê midou. On de léfti. O Joel campeoníssimo carioca. O Natalino de bons trabalhos pelo Brasil. O zagueiro duro dos anos 70 que virou confiável professor nos últimos 25 anos no Brasil.

Figura de fala fácil e divertida. Ótimo de papo. Bom de grupo. Rico de anedotas. Cheio de troféus. E pouco reconhecimento pelas inegáveis conquistas. E pelo conhecimento do jogo. Simples e direto.

Sem firulas em campo. Sem filigranas no papo.

O inglês santânico na África do Sul rendeu boas pilhérias. E, agora, graças à boa visão publicitária, e a bons roteiros e direções e edições, Joel Santana virou pop-star. Rendendo ótimas pilhas de dinheiro.

Do sensacional Head & Shoulders a Oi, o comentarista que ganhou emprego do SBT também por isso dá show.

Carisma, claro. Insuspeita capacidade cênica, também.

Mas o melhor de Joel foi se aproveitar de uma eventual pisada na bola e na língua que muitos dariam – aqui está um deles – para virar o jogo com simpatia e maestria.

E, sim. Dinheiro. Muito e merecido dinheiro. Sem brincation.

Joel não teve vergonha – e não era para ter mesmo – de rir de si mesmo.

E riu por último. E muito melhor. Riu com todo mundo que ria dele.

E aí está rindo ainda melhor ganhando mais por saber não perder o humor e a esportiva.

Parabéns, papai Joel. O Natalino de 2014 promete muito mais.