Notas de Brasil x Chile

Leia o post original por Mauro Beting

JÚLIO CÉSAR – 9. No tempo normal, uma baita defesa impediu a virada chilena. No gol, bola na rede lateral é difícil. Nos pênaltis, o goleiro que não merece ser tão questionado foi feliz no primeiro pênalti mal batido, muito bem na cobrança que também não foi boa de Alexis, e estava na bola que explodiu na trave. Somado ao pênalti defendido espetacularmente em 2013 no mesmo Mineirão, JC vai fazendo o que dele se esperava. Muito.

DANIEL ALVES – 5. Melhor protegido por Fernandinho, ainda assim não tem sido o lateral confiante no apoio e consistente na defesa. Discreto.

THIAGO SILVA – 7. Menos problemas para cobrir Daniel, nem tantas soluções nos passes longos, lançamentos ou mesmo chutões.

DAVID LUIZ – 8. Estava no lance do gol que a ele foi creditado. Esteve muito bem para quem tinha problemas nas costas.

MARCELO – 6. Sofreu, como todo o Brasil, pela ótima atuação e marcação chilena. Poderia ainda assim ter servido mais o ataque.

LUIZ GUSTAVO – 7. Amarelado, fará muita falta contra o excelente James Rodríguez. Ajudou bem a zaga e conseguiu impedir algumas das tantas chegadas de Vidal.

FERNANDINHO – 6. Não foi o que se esperava. Como todo o Brasil esteve bem abaixo. Mas correu, lutou, ajudou o time e marcar. Mas não a armar no desértico meio-campo brasileiro.

(RAMIRES – 6. Entrou e manteve o nível. Soltou-se mais na prorrogação, como tudo o Brasil. Mas foi pouco ainda)

OSCAR – 4. Atuou no mais das vezes pela direita, onde brilhou contra a Croácia. Desde quando não joga bem. E cada vez pior. Apenas marcou. Quando marcou. Não armou. Não recuou para tomar a bola. Muito apegado ao jogo sem bola orientado, esquece de a jogar. Ou deixa apenas tudo para Neymar.

(WILLIAN – sem nota. Entrou no segundo tempo da prorrogação. Com atraso. Talvez pela situação de David Luiz.).

NEYMAR – 6. Pelo primeiro tempo de talento e movimentação. Mas, depois, pouco assumiu. Sumiu. O que não é o normal dele. Até passou mais a bola. Mas não foi bem. E, com ele, ou pior, sem ele, todo o time padece.

HULK – 6. Pela esquerda, foi mais tático que outra coisa. Na falha do gol, não se abalou. Na prorrogação, levou o time e a torcida à frente. Muita vontade, mas ainda pouco futebol. Pelo olho Fox, parece ter mesmo dominado com o braço a bola que mal finalizou. Mas ela entrou.

FRED – 4. Pouco. Quase nada. Sofreu com a bola que chegou pouco. Mas pouco deu opções. Mudar o esquema com a saída dele e a entrada de mais alguém pelo lado, e a liberdade concedida a Neymar, pode ser alternativa.

JÔ – 4. Mesma coisa que Fred. Mas canhoto. Notado por ter furado uma bola que caiu no pé errado.

LUIZ FELIPE SCOLARI – 5. A opção Hulk, Oscar e Willian armando para Neymar solto é cada vez mais possível para um time que não jogou bem contra o melhor Chile que vi. E ainda assim criou mais oportunidades. Maicon também pede passagem em uma equipe que precisa melhorar. É ganhar um jogo ainda mais difícil contra a Colômbia.