Costa Rica 1 x 1 Grécia. Turista acidental

Leia o post original por Mauro Beting

Quando meu twitter fake oficial postou no dia do sorteio da Copa que Costa Rica “havia solicitado visto de turista” para a Copa de 2014 ao cair no grupo de Itália, Inglaterra e Uruguai, nem o treinador Pinto, nem Campbell, nem Bryan Ruiz, nem Navas poderiam supor o que os amistosos pré-Mundial também não faziam supor.

Virada de 3 a 1 sobre o Uruguai. Vitória por 1 a 0 contra a Itália (fora um pênalti não marcado). Empate pró-forma contra a Inglaterra.

Mas já havia como especular um empate sem gols e sem muito futebol contra a Grécia que parece há 10 anos jogar a Euro de Portugal. Quando a odisseia e epopeia gregas fizeram história com o mais horripilante futebol já visto na competição.

Mas é futebol. Funciona com essa geração de Samaras, Karagounis, Katsouranis. Cacildis!

É feio de ver. Mas deve dar um orgulho danado de torcer por um time que vai buscar uma derrota incerta num gol de Bryan Ruiz que levou anos para a bola entrar – como a partida levou séculos para passar.

Orgulho grego que, mesmo com um a mais, tem sérias dificuldades para jogar. Mas ainda assim empatar com Sokratis em um chute todo torto. Mas uma vez mais decisivo no final.

Foi um zero a zero com gols os 90 minutos no Recife. O jogo esperado e truncado para os pênaltis.

Os gregos no 4-1-4-1 isolando o ataque. Costa Rica no bem montado 3-4-2-1, mas com alas em jornada pálida, e os principais criativos travados pelos gregos.

Um jogo de equipes que, de tanto jogarem no erro, erraram demais. Sorte delas que não tiveram um Brasil ou uma Holanda pela frente como Chile e México. Equipes que mereciam o que os bravos homens de Costa Rica conquistaram a duras bolas, penas e pênaltis.

Parecia mesmo nos pênaltis que teríamos ainda mais a repetição do pavoroso Suíça x Ucrânia de 2006. Um zero a zero até nos pênaltis para os suíços. Mas as duas equipes mostraram que, de fato, bola parada é com elas mesmo.

Um jogo infelizmente digno de muitos domingos à tarde recentes nas televisões brasileiras com partidas do BR-14. E BR-13…

Mas ainda era jogo de Copa. Vamos morrer de saudade em breve. Ainda mais de um Mundial onde até jogo ruim fica bom. Como a superação do time de Costa Rica. Como as defesas de Navas. Como o empate grego no final.

Na boa, ou na pior, ainda é jogo que vale a cornetada do meu fake oficial:

“Fifa reavalia punição de Suárez. Ele será obrigado a rever Grécia x Costa Rica na íntegra. Atleta prefere deixar como está.”

Não vale rever o jogo – como, também, muitos momentos de Brasil x Chile foram consumidos pelo nervosismo.

Mas vale rever a festa de Costa Rica pelo inesperado e histórico.