Chá de cidreira*

Leia o post original por Antero Greco

Um dos aspectos mais bacanas, no início da preparação da seleção para a Copa, foi o ambiente sereno na Granja Comary. Mesmo sem contato direto com jogadores, pairou no ar clima relaxado e amistoso, diferente daquele que precedeu a aventura na África do Sul e se manteve até a derrocada diante da Holanda. Cruz-credo reviver tensão semelhante, em que todos viam inimigos até na própria sombra!

Algo saiu do prumo e fez com que o alto-astral sumisse. O Felipão afável e paciente de antes se mostra, agora, apreensivo, irritadiço e se sai até com a autocrítica de que tem sido cordial demais com comportamento de estrangeiros. E ameaça retomar o estilo agressivo. Tomara seja só farol

O diretor de Comunicação da CBF, Rodrigo Paiva, levou puxão de orelhas da Fifa porque teria dado sopapo no chileno Pinilla, no sábado. Pegou suspensão de uma partida, que pode ser ampliada, pois está sob averiguação. Se ele perdeu a linha, merece mais do que isso, pois é porta-voz da federação anfitriã e tem de manter elegância e fair-play.

Nem retomo o tema da crônica de ontem, na qual falei sobre o excesso de emoção e choro incontido, com reflexos negativos no desempenho de vários titulares. Mas fica evidente que faz parte do conjunto da instabilidade emocional que se espalha por todos.

Não é moleza enfrentar pressão por jogar em casa e com o peso da responsabilidade de ser campeã do mundo. Para a turma da seleção, parece o desafio mais importante da vida de cada um. E não é! Trata-se de tarefa extraordinária, mas que não pode ser tomada como vital. O fator emocional tem minado a confiança e se torna mais evidente, no campo, pois a equipe nega fogo e tem passado sufoco.

A Comissão Técnica detectou a falha e promete agir rápido. Está na hora de o pessoal tomar baldes de chá de erva-cidreira e pílulas de maracujina, para baixar o facho. E, de quebra, caprichar no tempo que resta para ensaiar alternativas para sair do marasmo, quando a bola rola. Porque, com bom futebol, os nervos ficam sob controle. Daí, não haverá inimigo, real ou imaginário, que resista à amarelinha. O resto é conversa para boi dormir.

Por falar em descanso, titulares devem estar esgotados além da conta. Após a pausa no fim de semana, só reservas bateram bola ontem. Felipão tem hoje e amanhã para decidir quem entra no lugar de Luiz Gustavo, suspenso, para pegar a Colômbia. A tendência é o retorno de Paulinho. Para alguma novidade. o tempo é suficiente, ou curto, a depender do que pretenda.

Intensos. França 2 x Nigéria 0 foi mais um dos jogos animados da Copa em que o marasmo não tem vez. O goleiro Enyeama pegou quase tudo, mas não evitou o avanço dos Bleus. Lá vêm eles de novo… e podem cruzar o caminho brasileiro. Credo!

A Alemanha precisou de prorrogação para bater a Argélia! Jogo em que os goleiros foram brilhantes. Mesmo sem ser espetacular, o time alemão mete medo. Vixe!

*(Minha crônica publicada no Estado de hoje, terça-feira, dia 1/7/2014.)