Sempre Messi e sua tradicional arrancada

Leia o post original por Pedro Ernesto

O mundo se preparava para assistir às cobranças de pênaltis no enfrentamento entre Argentina e Suíça. Os jogadores suíços tiveram enorme precisão na marcação do supercraque da Argentina durante todo jogo. Tiraram-lhe o espaço e quase lhe tiraram a respiração. Mas para Messi não precisa muito.

Um minuto antes de terminar a prorrogação, um pequeno e fatal descuido dos suíços. Messi deu sua arrancada tradicional deixando dois marcadores para trás. Mas, como outros dois se apresentaram na marcação, o craque empurrou a bola para Di Maria. Ele ficou pifado e concluiu com precisão. A Argentina conseguiu, num jogo difícil, classificação para as quartas de final. A Argentina tem o papa Francisco e o atual deus do futebol. Messi, sempre Messi.

Consequências
A forte marcação feita pelos zagueiros chilenos sobre Neymar trouxe duas consequências importantes. A primeira é que entre as seleções que já ganharam título mundial, a única que se classificou nos pênaltis para as quartas de final foi a Brasileira. A outra consequência está nas pernas de Neymar. Bateram muito no grande jogador brasileiro. Ele não consegue treinar na granja Comary.

Os médicos garantem que ele estará em campo na sexta-feira aqui em Fortaleza. Por certo, terá prejuízos na sua impossibilidade de se manter treinando com seus companheiros. E nós sabemos que, sem Neymar, as chances de sucesso da nossa Seleção despencam num precipício.

Demmmaaaiissss
Segundo a Secretaria de Turismo do Rio Grande do Sul, o número de turistas no Estado nos dias dos cinco jogos da Copa do Mundo em Porto Alegre foi 350 mil. Muito acima da expectativa. Gastaram mais de R$ 1 bilhão. Os hotéis tiveram ocupação de 80% num raio de 200km de Porto Alegre. Some-se isso à visibilidade que a cidade ganhou com a competição e veremos que a cidade ganhou muito. E o povo foi espetacular. Porto Alegre é demais.

De menos
Os desentendimentos acontecidos nos estádios não chegam a ser muito preocupantes, mas são a nota ruim da Copa. A Fifa vende ingressos sem estabelecer locais das torcidas. A proximidade de torcedores leva alguns exaltados a discussões que atrapalham o espetáculo. Mas como não existe a presença de torcidas organizadas, nada vai além de bate bocas e empurrões.

Adversário
Parei para pensar qual seria o melhor adversário para o Brasil na semifinal, admitindo a vitória sobre a Colômbia na sexta-feira, aqui em Fortaleza. Não consegui chegar a qualquer conclusão pela verdadeira paridade das seleções. Não há o bicho papão, o grande favorito. Nesse caso, volto a tratar das dificuldades que teremos contra a Colômbia. A Seleção Brasileira precisa jogar mais.

Carpideiras
Em 2002, a imprensa resolveu chamar a Seleção Brasileira de família Scolari. Era a certeza da forte influência do treinador sobre os jogadores. Este ano, Luiz Felipe não consegue dar à Seleção um bom rendimento.

E os jogadores choram na hora do Hino Nacional, choram antes dos pênaltis, choram depois dos pênaltis, com a emoção de uma classificação dramática. Choram muito. Estamos diante das carpideiras do Felipão. Espero mais futebol e menos choro na sexta-feira.

Clic do dia

AFP

AFP

Copa do Mundo, além do futebol, é alegria e integração dos povos. Ontem, a classificação argentina para as quartas de final, obtida em São Paulo, foi comemorada com muito bom humor pelos hermanos que estavam nas areias de Copacabana, no Rio.