David Luiz, ídolo do Brasil, exagera e passa 55 minutos com fãs

Leia o post original por blogdoboleiro

Gentileza gera fãs. David Luiz é gentil. E aumenta a legião de fãs brasileiros apaixonados pelo zagueiro que deverá ser o capitão do da seleção na semifinal contra a Alemanha, nesta terça-feira em Belo Horizonte. Normalmente, ele atende quem o procura depois dos treinos na Granja Comary. Mas neste domingo ele exagerou. Foram mais de 55 minutos, tirando fotos, assinando camisas, álbuns de figurinhas e até alguns braços.

Ele mesmo pegava o telefone celular das pessoas que pediam um foto e as transformava em “selfie”. Antes de devolver o aparelho, checava com o dono se o retrato tinha saído a contento. Se não, sem problemas, o zagueiro sacava nova pose. Os pais de crianças atrás do bolo de pessoas eram orientadas pelo jogador a darem a volta pela esquerda para que David pudesse atender a molecada.

Ele ainda organizou o fluxo. Em mais de uma ocasião, David conversou com meninas adolescentes, mães emocionadas e jovens animados para que tivessem calma e chegassem perto pela frente, uma vez que a turma à direita dele estava ficando muito distante.

Esta função só acabou às 18h00, quando já estava escuro em Teresópolis.

Foi mais um gesto que reforça a imagem de David Luiz: ótimo jogador, cara bem humorado, sujeito bacana e até bonito. Em campo, além de ser indicado pela Fifa como o melhor jogador da Copa do Mundo até as quartas de final, ele tem atuado no mesmo nível de Thiago Silva e, contra a Colômbia, fez um gol de falta que fechou a vitória por 2 a 0.

O humor de David Luiz já vinha sendo notado desde que começou a jogar no Chelsea. A TV Chelsea percebeu logo que ele adora fazer caretas e bocas. Virou astro dos vídeos virais do clube inglês, aparecendo atrás de outros companheiros no meio da entrevista ou mesmo apresentando um telejornal em tom satírico.

Já na seleção brasileira, ele mostrou bom humor nas redes sociais e mesmo nos treinamentos. O cabelo ajuda. Hoje é comum ver a torcida brasileira ir aos estádio na Copa do Mundo com uma peruca que imita a cabeleira do atleta. David não economiza chamados nos estádios, quando pede barulho da galera.

O sujeito bacana chegou ao auge quando, depois de eliminar a Colômbia, resolveu consolar e apoiar o jovem James Gonzalez, número 10, no gramado da Arena Castelão. O gesto de abraçar o garoto que chorava e, com a mão esquerda pedir para o estádio aplaudi-lo rodou o mundo. Foi festejado na Colômbia e citado em matéria da revista New Yorker.

David Luiz tem faturado com vários patrocínios nesta Copa do Mundo. Vai se tornar figura fácil daqui para a frente. Tem carisma. Sabe fazer cara séria e brincalhona. Costuma acertar gravações “de primeira”. Já tem legião de seguidoras que o acham “lindo”. Enfim, virou símbolo de um time que tinha Neymar como o maior símbolo fora de campo.

Aos 27 anos, o paulista nascido em Diadema, David Luiz Moreira Marinho Lima vai jogar a próxima temporada no Paris Saint German, equipe onde Thiago Silva, Maxwell e Lucas já atuam. Mas a partir deste Mundial no Brasil, ele conseguiu finalmente entrar no imaginário do torcedor brasileiro como ídolo do futebol.

Assim, ele recupera o tempo que passou como mero desconhecido que jogou no Vitória e no Benfica até ser descoberto para a seleção brasileira adulta por Mano Menezes em 2010. Agora é famoso no próprio país e pode ainda aumentar a popularidade, se o time de Luiz Felipe Scolari passar pela Alemanha e, quem sabe, vencer a final da Copa.

“Acho que é possível. Nosso grupo está determinado e vai atrás deste sonho”, disse há dois dias.