Não foi por acaso

Leia o post original por flavioprado

Foto: Ricardo Stuckert/CBF

Foto: Ricardo Stuckert/CBF

A  derrota do Brasil para a Alemanha por 7 a 1 não foi um acaso. Os sintomas da decadência do futebol brasileiro vêm sendo apresentados faz tempo. Mas as pessoas fingem não perceber. É mais ou menos como o cara que fuma três maços de cigarro por dia e está, aparentemente, bem. De repente vai ao médico e descobre que tem câncer .

Era lógico que ocorreria, porém ele insistia em se enganar. Os vexames brasileiros têm se acumulado. O Internacional perdeu para o Mazembe. O que parecia um acidente repetiu-se com o Atlético Mineiro sendo derrotado pelo Raja Casablanca. O melhor time dos últimos anos, o Santos,  tomou primeiro de 4 e depois de 8 do Barcelona e não teve nem coragem de marcar novo jogo na Vila, coisa que tem direito pela venda do Neymar.

O Campeonato Brasileiro é um lixo. Os jogos são tediosos nem lembrando exatamente futebol, se comparado com os certames que vemos na Europa. Os métodos são arcaicos, as bases só servem para negociatas e não revelam ninguém . A maioria dos garotos que tenta jogar futebol é barrada por um esquema de cartas marcadas. A cada 3000 meninos que gostariam de atuar, somente um consegue. Quantos neymares não estarão sendo desperdiçados.

Nunca houve um projeto de futebol. É tudo empírico . Fora a corrupção que impressiona, mesmo vivendo-se num dos países mais corruptos do mundo. Se os alemães perceberam que estavam em decadência e fizeram um plano de trabalho, uma metodologia de treino a partir de 2004, no Brasil a opção é pela enganação.

Lembram-se da força à base com o Ney Franco no comando? Depois de um ano tinha uma pessoa cuidando de todas as categorias e estava uma zona completa. Não há alternativa que não seja a criação de uma liga, um plano de trabalho com tempo determinado e projeto público para acompanhamento de todos. Cursos para treinadores, intercâmbio , uso da academia e métodos de modernização e transparência obrigatória nos clubes e afastamento dessa corrupta CBF do comando do nosso futebol.

Fora isso não haverá jeito. Outras vergonhas virão. A Liga Alemã é considerada a instituição de maior credibilidade pelo povo alemão. No Brasil a CBF é comandada por José Maria Marin e Marco Polo Del Nero. Por essa razão não se pode dizer que o 7 a 1 foi obra do acaso.