Após 7 x 1, senador retoma pedido de CPI da CBF e inclui máfia das entradas

Leia o post original por Perrone

O vexame da seleção brasileira nas semifinais da Copa do Mundo diante da Alemanha motivou o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) a voltar a tentar emplacar a CPI da CBF no Senado. Agora, no entanto, ele quer incluir nas investigações a máfia dos ingressos identificada pela Polícia Civil do Rio de Janeiro durante o Mundial.

Antes de a Copa começar, Randolfe e Mário Couto (PSDB-PA) chegaram a recolher mais do que as 27 assinaturas necessárias para a instalação da CPI. Porém, a maior parte delas foi retirada após a ação da bancada da bola.

“Hoje, existe uma mobilização nacional pela reformulação do futebol brasileiro. A culpa da derrota não pode ser atribuída somente ao técnico e aos jogadores. O retrato da CBF é o mais cruel do que temos de pior no nosso futebol. Temos um zumbi da ditadura militar no comando do futebol brasileiro. Chegamos ao fundo do poço no esporte mais amado do país. Se acharmos que é só trocar o técnico, vamos amargar situações piores. Precisamos reformular a estrutura do futebol brasileiro e só se faz isso banindo as quadrilhas que agem nele”, afirmou Randolfe ao blog. Ele diz que na próxima segunda vai retomar o recolhimento de assinaturas para o pedido de CPI.

Segundo o senador, os objetivos são investigar a estrutura do futebol nacional, apurar  supostas irregularidades na maneira de a CBF versar suas verbas e supostos desvios de recursos das federações estaduais. A dúvida é se serão aproveitadas as cerca de 10 assinaturas que sobraram após o ataque da bancada da bola ou se o recolhimento começará do zero. Isso por causa da inclusão de investigação sobre a máfia dos ingressos no pedido de CPI.

Polícia e Ministério Público do Rio apontam o envolvimento de Ray Whelan, executivo da Match, empresa credenciada com exclusividade pela Fifa para comercializar ingressos nobres para Copa na revenda ilegal de entradas. Bilhetes destinados à CBF também apareceram nas mãos de cambistas.

A iniciativa dos senadores de retomar a campanha pela CPI tem o apoio do deputado Romário (PSB-RJ), autor de um pedido de CPI da CBF que está na fila de espera na Câmara. Desde a humilhante derrota da seleção para a Alemanha, o Baixinho está fazendo barulho para tentar desengavetar seu requerimento.

O blog procurou a assessoria de imprensa da CBF para ouvir Marin sobre as críticas de Randolfe, mas as ligações não foram atendidas.