Cruzeiro começa a “criar gordura” para poder tropeçar no 2º turno

Leia o post original por blogdoboleiro

A vitória sobre o Palmeiras, junto com os maus resultados de Corinthians e São Paulo, deixaram o Cruzeiro com uma vantagem de cinco pontos sobre o segundo colocado do Campeonato Brasileiro. O torneio ainda está no primeiro turno. Foram disputadas 11 rodadas. Mas os cruzeirenses já pensam em ampliar a vantagem para poder negociar no final.

“A gente tem sempre que buscar os resultados para ter uma gordurinha. Depois, quanto tivermos um tropeço ou outro, podemos queimar esta gordura”, disse o volante Henrique ao Blog do Boleiro.

Antes da partida deste domingo no Pacaembu, o gerente de futebol Valdir Barbosa fazia cálculos: “Se a gente conseguir duas vitórias e um empate nos próximos quatro jogos, seria bom para colocar vantagem na pontuação. Um empate aqui seria bom”, disse. Depois da vitória por 2 a 1, Valdir comemorou: “Foi melhor do que a gente esperava”, falou.

Agora, o Cruzeiro se prepara para enfrentar o Figueirense (18º colocado) no sábado, no Mineirão. Aí vai jogar como visitante duas vezes seguidas, diante do Botafogo (13º) e Criciúma (14º). São três oponentes que estão na “metade baixa” da classificação. A ideia é tentar vencer pelo menos dois destes três confrontos.

A proposta de trabalho do técnico Marcelo Oliveira é nem olhar para trás. “A gente tem sempre que olhar para a frente. Temos que fazer de cada jogo uma final para ir acumulando pontos.”, afirmou. Henrique reforça o treinador: “A gente busca o resultado”.

Oliveira sabe, no entanto, que uma boa vantagem de pontos coloca pressão em quem está perseguindo o Cruzeiro. Os adversários diretos precisam vencer também, dentro e fora de casa. Por isso, usando a experiência de 2013, quando o time fez “gordura” para alguns maus resultados nas últimas rodadas do Brasileiro,  o Cruzeiro vai buscar vitórias.

Depois da Copa do Mundo, já foram duas. O Cruzeiro bateu o Vitória no Mineirão e o Palmeiras, no Pacaembu. Para isso, contou com um elenco que pode deixar no banco de reservas atletas como Júlio Baptista, Dagoberto, Marlone e Tinga. Contra o Palmeiras, o meia entrou no segundo tempo para dar mais posse de bola e segurar o ímpeto palmeirense.

“Eu treino para isso também. Com tantas opções que temos, é preciso trabalhar até mais do que os titulares para quando entrar, entrar bem”, disse Tinga. “Tem muita gente boa aqui e isso é importante num torneio como o Brasileiro”, completou.

Em alguns casos, ir de reforço a titular é um passo rápido. Foi o que aconteceu com o meia Marquinhos, que era a principal estrela do Vitória e foi contratado para reforçar o elenco. “Ele já estava bem lá e chegou com muita personalidade”, explicou Valdir Barbosa.

Marquinhos já começa jogando. Contra o Palmeiras, ele deu trabalho, especialmente no primeiro tempo. O jogo tinha uma história: Marquinho já foi atleta do Palmeiras e pouco jogou. “Foi uma fase difícil, tive várias contusões, e precisei não abaixar a cabeça”, falou o jogador que, segundo dirigentes palmeirenses, também teria gostado um pouco demais da noite paulistana.