Empresário define futuro de André Santos com presidente do Fla

Leia o post original por blogdoboleiro

O empresário Carlos Leite, que cuida da carreira do lateral André Santos, marcou uma reunião para esta quarta-feira com o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello. A conversa será sobre a dispensa do atleta, anunciada pelo diretor de futebol Felipe Ximenes e depois desmentida pelo próprio Bandeira de Mello.

O Flamengo não quer dispensar André do jeito que Ximenes fez. Nesta terça-feira de manhã, antes do treinamento, ele conversou com o lateral e informou que o clube estava reformulando o elenco e que ele estava dispensado, devendo passar no departamento jurídico nesta quarta-feira. André sequer treinou, avisou Carlos Leite e divulgou a notícias através da assessoria de imprensa.

Não era para ser assim. O presidente queria uma conversa amigável onde tentaria fazer um acordo com André Santos, o que poderia custar menos para o Flamengo.

Agora complicou.

O contrato do jogador com o Flamengo dura até agosto de 2015. Há multa por quebra unilateral de contrato. Além disso, ele foi dispensado menos de 30 horas depois de ter sido agredido por torcedores rubro-negros na saída do estádio Beira Rio, em Porto Alegre, no domingo à noite. O Flamengo tinha sido goleado pelo Internacional (4 a 0) e continua na lanterna do Campeonato Brasileiro.

Cerca de 20 torcedores esperavam pela saída de André por uma porta lateral do estádio. Ele chutaram e deram socos no jogador, que foi socorrido por brigadianos que policiavam ao redor da arena. Ele saiu por um lugar onde nenhum outro integrante da delegação do Flamengo sairia, o que torna estranha a presença dos agressores no local.

André tinha sido autorizado a não retornar ao Rio de Janeiro com o resto da equipe. Como a segunda-feira seria de folga, ele marcou vôo para Florianópolis, onde mora. Ainda no domingo à noite, Ximenes ligou para ele tentando saber o que aconteceu e oferecendo solidariedade, além de pedir calma para André. Na segunda-feira, o Flamengo soltou uma nota oficial se solidarizando com o atleta.

No dia seguinte de manhã, o diretor anunciou a decisão de não contar mais com o lateral esquerdo.

André então gravou uma entrevista com o assessor de imprensa Acaz Fellegger (o mesmo de Luiz Felipe Scolari) por volta das 11horas. Nela, ele relata o que aconteceu e como foi a conversa com o dirigente. Mais tarde, depois do treino da manhã, Ximenes negou a demissão de André e garantiu que nem tinha falado com o jogador.

À tarde, o site do clube publicou uma nota desmentindo a informação da demissão: "Tendo em vista as notícias a respeito do contrato de trabalho do jogador André Santos com o Flamengo, publicadas nesta terça-feira pela imprensa, o Clube de Regatas do Flamengo esclarece que o referido contrato não foi rescindido, permanecendo totalmente em vigor. A diretoria do clube está analisando, juntamente com o jogador e seu representante, todo o ocorrido até o momento visando uma solução que seja adequada tanto para o atleta quanto para o Flamengo."

O Flamengo não quer mesmo contar com André Santos. Ou não queria. A rescisão de contrato anunciada precipitadamente por Ximenes criou um problemão para o clube. Demitir em comum acordo, com uma quantia em dinheiro acertada entre as partes, seria desejável para um clube que não tem dinheiro em caixa e anda acumulado em dívidas.

O agravante da história é que além de fazer o desligamento unilateral, caracterizando quebra de contrato, o Flamengo estaria deixando de assistir a um atleta agredido quando só tinha um segurança em sua proteção.

Não é a primeira vez que o clube, nos últimos meses, tem se envolvido em vazamento de informações. O técnico Jaime de Almeida, em maio, soube que tinha sido demitido quando estava almoçando com a esposa num restaurante na praia. Era folga. Antes da Copa do Mundo, os jogadores como André Santos, Elano e o goleiro Felipe ouviram rumores de que estariam numa lista de cortes.

Ela não veio.

Na noite desta terça-feira, em entrevista à ESPN, Bandeira de Mello desmentiu que André tenha sido desligado do clube. Mas não disse que ele é jogador do elenco e não corre risco de sair. O mesmo acontece com Elano e com o técnico Ney Franco. O presidente elogiou o trabalho do treinador na inter temporada realizada durante a Copa do Mundo. Mas disse que futebol é dinâmico.

Ninguém, anda seguro no Flamengo. Mas o clube não pode se dar ao luxo de sofrer ações trabalhistas onerosas. Assim, o presidente quer ter muita calma nesta hora. A conversa com Carlos Leite deve ser nesta direção. O problema é que André Santos está irritado com o que aconteceu.

Ele não foi treinar nesta quarta-feira de manhã. Não se sabe se vai continuar ou não no clube depois de ser agredido por torcedores e demitido por um diretor quando voltou.

E o destino de Ximenes também está em jogo.