Em nota, Mauro Silva diz que vai usar experiência para ajudar Dunga

Leia o post original por blogdoboleiro

O primeiro “auxiliar pontual” da seleção brasileira comandada pelo técnico Dunga, passou a noite de ontem preocupado em explicar o que pretende fazer para ajudar o treinador e o coordenador Gilmar Rinaldi durante a passagem em setembro, quando vai fazer parte da comissão técnica nos amistosos contra Colômbia e Equador, disputados nos dias 5 e 9 de setembro, nos Estados Unidos.

Ele afirma, em nota oficial que escreveu na manhã desta quinta-feira, que vai fazer “observações táticas, técnicas e comportamentais” aos amigos dos tempos de seleção brasileira tetracampeã mundial (1994). E repetiu duas vezes que não vai receber um tostão pela colaboração.

Na verdade, Mauro Silva – que compôs com Dunga a dupla de volantes da seleção dirigida por Carlos Alberto Parreira – recebeu o convite como uma convocação. Ele é um dos ex-atletas que foram procurados por Gilmar na semana passada. O convite para a primeira experiência é uma mostra do que o coordenador de seleções quer fazer: trocar informações, opiniões e experiência.

A avaliação é a de que a seleção brasileira que disputou a Copa do Mundo deste ano no Brasil realmente sentiu o peso de disputar o torneio em casa e o grupo mostrou que não tinha estrutura emocional para encarar o jogo contra a Alemanha. Haverá um enfoque muito grande no resgate da confiança dos atletas que vão permanecer no time.

A seguir, a nota de Mauro Silva:

  "Nota a imprensa"

 Como amplamente noticiado, aceitei o convite para contribuir com o início do trabalho da nova Comissão Técnica da Seleção Brasileira. O fiz como forma de retribuição pessoal à Seleção, pela qual atuei como jogador por mais de dez anos.

Esclareço que minha contribuição, além de pontual, terá caráter não remunerado.  

Como cidadão brasileiro e ex-atleta, tenho certeza que poderei colaborar com o Gilmar e o Dunga neste momento tão delicado de reconstrução.  Tenho auto critica e se não tivesse condições de ajudar a seleção neste momento, não assumiria este compromisso.

Espero que outros ex-atletas também possam dar suas contribuições à Seleção, na medida de suas possibilidades.

Minhas atribuições serão exclusivamente técnicas e restritas as duas partidas amistosas a serem disputadas nos Estados Unidos no próximo mês de setembro: com a experiência adquirida ao longo de treze anos no futebol europeu e mais de dez anos na Seleção, espero auxiliar a nova Comissão e os atletas que serão convocados com observações táticas, técnicas e comportamentais.  

Penso que contribuir com a Seleção de forma técnica, pontual e não remunerada em nada reduz a legitimidade das opiniões que venho emitindo sobre a necessidade de melhorias estruturais no futebol brasileiro.    

 Abraços a todos e obrigado mais uma vez pelo carinho.

 Mauro Silva