A renovação do futebol brasileiro começou muito mal

Leia o post original por Pedro Ernesto

Existem funções que não podem ser misturadas. Uma empresa sempre tem que cuidar a possibilidade da incompatibilidade de funções dos seus funcionários. Gilmar Rinaldi é empresário. Disse que estaria acabando com sua empresa, o que ainda não aconteceu. Não importa que ele não faça negócios com jogadores. As pessoas estão autorizadas a pensar que ele irá misturar funções. Existe o ser e o parecer. Difícil contar para os torcedores do Brasil inteiro que não existe essa incompatibilidade.

Ontem, para piorar, os jornalistas da ESPN mostraram documentos provando que Dunga também trabalha neste ramo. Ele fez negócios com Antônio Caliendo, que foi seu empresário e procurador, e se tornou seu sócio quando Dunga abandonou a carreira. O atual treinador da Seleção Brasileira recebeu vultuosas quantias de dinheiro na venda de jogadores. Dunga desmente, mas os documentos são comprovantes de que a relação comercial existe. São assuntos que não depõe contra a seriedade dos profissionais, mas atuam como problemas para quem tem a responsabilidade de encontrar uma nova Seleção. Cada jogador novo que for convocado, vai gerar um oceano de desconfianças pela incompatibilidade de funções.

Começou muito mal a renovação do futebol brasileiro
 
Superestreia

Agência RBS

Agência RBS

O grande fato desta volta do Campeonato Brasileiro está no Morumbi. O São Paulo repatriou Kaká. Ele já foi o melhor jogador do mundo, teve passagens importantes pela Seleção Brasileira e por grandes clubes da Europa. Claro que teremos de conferir em que condições físicas e atléticas ele retorna. Se estiver bem, fará muita diferença para o time treinado por Muricy Ramalho. Sua estreia acontece neste domingo contra o Goiás, lá no Serra Dourada. Confesso que vou torcer muito pela recuperação plena deste jogador. Se acontecer, ele vai acrescentar qualidade técnica ao São Paulo e ao futebol brasileiro.

Fernandinho
Finalmente, depois de muitas idas e vindas, chegou a condição de jogo do atacante Fernandinho. Ele deve estrear pelo Grêmio, no domingo, contra o Coritiba. Já escrevi, e repito, que não acredito numa boa estreia deste jogador porque sua forma física não está completa. Ele está há bastante tempo sem jogar. O que pode facilitar sua vida é a pouca capacidade técnica do adversário. O Coxa, treinado por Celso Roth, tem uma das piores campanhas do Brasileirão.

Meio-Campo
A utilização de Alex desde o começo contra o Bahia ameniza a ausência de Aránguiz. Contra o Corinthians, Abel não tinha Alex, Aránguiz e Wellington. O time ficou muito fragilizado. Mesmo assim, até conseguiu um jogo razoável depois daquele apagão dos dez primeiros minutos. Diante do Flamengo, descontando a fragilidade do adversário, Abel tinha Welington e, no segundo tempo, Alex. Muda a produção do time. No sábado, só não terá Aránguiz, mas poderá escalar Alex, D’Alessandro e Alan Patrick. Fica muito melhor.

Demaaaaiiiissss
James Rodriguez foi contratado pelo Real Madrid, que pagou verdadeira fortuna por seus direitos federativos. Ele foi o goleador do Mundial, fez o gol mais bonito e jogou muita bola. No jogo contra o Brasil, mesmo tendo bom desempenho, sofreu muito com pegadas fortes de Fernandinho, sem que a arbitragem punisse os jogadores brasileiros faltosos. Acho que vai fazer história no Real. Tem muito futebol e agora terá a parceria de muitos craques.

De menos
Leitores me escrevem entendendo que não devem existir torcidas organizadas. Entendem, e eu concordo, que a violência dos estádios está quase toda nas práticas condenáveis de seus integrantes. Mas não existe forma de acabar com elas. Pessoas podem se agrupar e não existe crime nisto. O problema é o que vem depois. Tem torcidas que os líderes não colocam seus nomes para não serem responsabilizados por atos criminosos. E quando brigam entre si, promovem brigas nos bandos que se dividem. Uma praga dentro do futebol.