Acabou o luto

Leia o post original por flavioprado

Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Voltamos à rotina. Depois dos 7 a 1 contra a Alemanha a impressão que ficou  é que, finalmente, algo sério seria feito em benefício do futebol brasileiro. Foi assim também depois da goleada sofrida pelo Santos por 4 a 0 no Mundial. E novamente quando o Barcelona dobrou e fez 8. A derrota do Internacional para o Mazembe,  primeiro  encarou-se como um acidente. Mas quando o Atlético Mineiro também perdeu para o africano Raja Casabranca, percebeu-se que esse era o nosso nível atual no jogo da bola.

O vexame da Copa do Mundo voltou a acender o sinal amarelo, caminhando para o vermelho. Mas só durou alguns dias. Retornamos aos clássicos mal jogados, aos árbitros que seguram o jogo, às torcidas uniformizadas e aos dungas da vida.

Acabou o luto. Brasileiro esquece fácil. Logo teremos novo papelão. Não será no Mundial de clubes, porque ninguém chegou, nem mesmo, às semifinais de Libertadores.

Porém, em algum momento, um time brasileiro voltará a encontrar outra escola moderna de futebol. E aí vai ser, de novo, como uma morte, o baile que os brasileiros levarão. Virão outras gritarias e outro luto, que o tempo tratará de apagar rápido.

Aqui não se aprende com nada. Não se tem vergonha na cara. Seguimos com os marins e marcos polos. A tecnologia é abominada. Não se admite estudar, aprender, criar metodologias de treinamentos. Afinal o Brasil é o país do futebol. Que descanse em paz.