Felipão e os prêmios pelos fracassos

Leia o post original por Neto

Felipão é o novo técnico do Grêmio

Felipão é o novo técnico do Grêmio

Antes de despejar minhas críticas, ao meu ver mais do que merecidas, tenho que deixar claro que reconheço no Felipão um dos técnicos mais vitoriosos do futebol brasileiro. Nos anos 1990 conquistou dezenas de títulos por Grêmio, Palmeiras e Cruzeiro. Mas desde o pentacampeonato mundial em 2002 com a Seleção Brasileira, ele só tem enganado. Com exceção talvez ao título da Copa do Brasil com o Verdão em 2012 e a Copa das Confederações, não me recordo de outro troféu de expressão. Virou um técnico com conceitos ultrapassados e permaneceu o mesmo profissional cabeça dura e irredutível.

O mais curioso é que nesse período ruim ele sempre teve uma moral monstruosa. Tão grande quanto os fracassos em seus trabalhos. Foi expulso do Chelsea, brigou no Uzbequistão, rebaixou o Palmeiras em seu retorno e foi eliminado de forma vexatória com a Seleção na Copa de 2014. Com direito a contribuir decisivamente para a pior derrota da história do Brasil: 7 a 1 (ah, por sinal, gol da Alemanha!). Agora acaba de ser confirmado o retorno dele ao Grêmio. É brincadeira?

Ou seja, como prêmio por rebaixar o Palmeiras ele assume a Seleção. E como prêmio por envergonhar a Seleção na Copa ele assume o comando do Grêmio. É isso mesmo ou é piada? Está mais do que na hora dos dirigentes darem mais valor a quem merece. E não vou aqui defender nem “A” nem “B”. Só não consigo mais aguentar sempre os mesmos nomes. Entre eles o Felipão. E os gremistas que não fiquem espertos pra ver. É só perguntar aos palmeirenses.