OPINIÃO: São Paulo 1×1 Criciuma

Leia o post original por daniel perrone

Imagem: Rubens Chiri / SPFC
Imagem: Rubens Chiri / SPFCNação do Maior do Mundo;

“Um drama sem final feliz”. Este foi o resumo de mais um resultado decepcionante no Morumbi, que afasta cada vez mais o São Paulo das primeiras posições do Brasileirão. A equipe se impôs, mas novamente não conseguiu ganhar em casa, diante de mais de 46 mil torcedores. O empate contra o Criciúma empaca uma reação que há tempos vem sendo ensaiada, mas que não sai do papel.

O adversário catarinense vaio para a capital paulista sem seis titulares, incluindo o highlander Paulo Baier, líder da equipe. Veio fechada, buscando a bola que conseguiria durante os noventa minutos. Proposta de jogo de 2 em cada 3 equipes que vem jogar no Morumbi. O filme se repetiu como no jogo diante do Chapecoense; o São Paulo com a posse de bola e o Criciúma atrás da linha da bola, explorando os raros contra-ataques que viriam. Desta vez não houve nhé, nhé, nhé em campo… o Tricolor se apresentou melhor que nas últimas partidas e criou várias chances de gol, diferente da última vez contra a equipe de Chapecó. Mas falhou na tranquilidade e pontaria na hora de finalizar. Méritos também para o goleiro Luiz, o melhor em campo.

Leia a opinião do jogo feita por Luiz Ademar, comentarista do Sportv.

Imagem: Rubens Chiri / SPFCA pressão em cima do adversário, desta vez com chutes na meta adversária, deu resultado. Belo gol de Alan Kardec, fruto de bela jogada perdida de Álvaro Pereira e ótima assistência de Ganso. Poderia resultar em comoção geral e três preciosos pontos se não houvesse mais uma vez desatenção coletiva na única chance criada pelo Criciúma no segundo tempo. Para uma equipe montada com a pretensão de protagonizar o futebol brasileiro o erro é imperdoável. Como se não bastasse, tomar gol de bola parada é muito mais que falta de atenção. É mau posicionamento e insegurança na defesa.

Veja a matéria do Site Oficial do SPFC sobre a desatenção geral na defesa.

Aí vem a hora de questionar responsabilidades. Para mim, a culpa do péssimo momento não é de uma pessoa ou de apenas um setor da equipe. A responsabilidade da atual situação deve ser dividida entre todos os jogadores e também pelo comando técnico. Alguns não tem técnica suficiente para vestir a pesada camisa, outros precisam de uma dose de adrenalina a mais nos jogos. Por fim e não menos importante, também falta ousadia na hora de mexer no time. Até mesmo nas escalações.

É límpido e certo que a equipe vai melhorar com as voltas de Antônio Carlos, Kaká e Luis Fabiano. Piorar não tem como. O temor é que mesmo com eles em campo a reação poderá ser tarde demais até para fins de G4. Vejam como é a vida; agora falta apenas encarar o Vitória as 18h30 do próximo domingo no Morumbi para encerrarmos com chave de ouro a “sequência fácil” que todos esperávamos ter: Quatro pontos contra Bahia, Chapecoense, Goiás e Criciúma são para encerrar qualquer pretensão de título no torneio de regularidade mais equilibrado dos países grandes do futebol mundial.

Saudações Tricolores!

Nota dos principais personagens da partida:

Rogério Ceni Dois lances capitais: Um fez uma defesa espetacular, no outro (gol) falhou. Nota: 6,5

Douglas Mais um festival de passes errados e cruzamentos ruins. O jogo não era pela direita e o Tricolor insistiu muito por aquele setor. Nota: 4,0

Rafael Tolói Não teve muito trabalho durante o jogo mas falhou no lance capital, não marcando o cabeceador em mais uma bola parada contra o Tricolor Nota: 4,5

Rodrigo Caio Seguro e sem firulas. Saiu machucado e preocupa para os próximos jogos. Nota: 6,0

Alvaro Pereira O nome do jogo pelo SPFC. Compensa a falta de técnica com raça e muita entrega. De um carrinho seu na lateral, em uma bola absolutamente morta, surgiu o gol tricolor. O melhor caminho era pela esquerda do campo. Nota: 8,0

Denílson A surpresa de Muricy fez o arroz com feijão da cabeça de área, protegendo a zaga. Nota: 6,0

Souza Com Denílson fixo na frente dos zagueiros, teve mais presença ofensiva. Perdeu uma chance boa de gol. Nota: 6,0

Maicon Mesmo atuando mais a frente (sua posição de origem), insistia em buscar a bola na defesa para sair para o jogo. Não conseguiu fazer a ligação para o ataque. Nota: 4,5

PH Ganso Foi bem no jogo e teve boa participação em assistências e passes no meio-campo. Falta-lhe mais intensidade, isso é, ditar o jogo com mais frequência durante a partida, coisa que fez nos últimos jogos. Nota: 7,5

Alan Kardec Joga menos fixo no comando de ataque; o bonito gol foi o primeiro no Morumbi. Mas ainda falta chamar mais a bola para arremate. Nota: 7,5

Alexandre Pato Procurou o jogo e foi mais objetivo que nos demais jogos. Pecou pela falta de pontaria. Nota: 6,0

Paulo Miranda Entrou no lugar de Rodrigo Caio. Outro que vacilou no gol do Criciúma. Nota: 4,0

Bosquilia e Ademílson Pouco tempo. Sem nota.

Muricy Ramalho Suas decisões nas escalações e nas trocas durante os jogos também afetam o mau rendimento do time. Não é o único culpado mas não pode se eximir de culpa. A verdade é que o São Paulo teve tempo para se ajeitar durante a Copa do Mundo e até agora isso não vem sendo traduzido em campo. O time vive de lampejos dos bons valores individuais que tem e não consegue jogar diante de esquemas bem armados. A verdade é que estamos perdendo pontos para equipes muito melhores montadas e com muito melhores propostas de jogo que a nossa. Nota: 4,0

Imagens: Rubens Chiri / SPFC

PS: O espaço é livre para você emitir sua opinião, porém respeite o blog e seus leitores.
Mensagens consideradas 
impróprias ou ofensivas serão deletadas antes mesmo de irem ao ar.

Me siga no Twitter: http://twitter.com/danielperrone
Curta a Fan Page: http://facebook.com/danielperronespfc
Instagram: http://instagram.com/danielperrone

Opine, palpite, participe do Blog do Maior do Mundo!