Depois de dois jogos ruins, Inter consegue vitória importante

Leia o post original por Pedro Ernesto

Depois de dois jogos muito ruins, o Inter melhorou seu desempenho e conquistou importante vitória sobre o Santos. Melhorou muito em relação a si mesmo. Diminuiu para quatro pontos a distância para o Cruzeiro e instalou-se na terceira posição. É campanha para não botar defeito.

Rafael Moura cumpriu com papel de centroavante ao fazer o gol decisivo. É o goleador do Inter na temporada, com 15 gols. Agora, é Gre-Nal e uma semana muito nervosa.

Torcer por Felipão

O veterano treinador começa hoje seu trabalho no Grêmio. Seu enorme prestígio mobilizou a nação gremista. O setor de torcidas organizadas da Arena lotou para recepcioná-lo. Uma grande festa. Mais do que isso, a esperança de que ele consiga dar um título para o seu clube do coração. Faz 13 anos que o torcedor não festeja. Vou torcer pelo sucesso do Felipão. Nem tanto por ele, mais pelo Grêmio e seus torcedores. Profissionais trabalham por seus salários. Felipão, corretamente, ganhou do Grêmio contra o Palmeiras dois anos atrás e festejou bastante.

O torcedor morre abraçado com o clube, vibra com ele, chora por ele. Durante muito tempo fiz rasgados elogios ao treinador. Seu time foi apelidado por mim de “exército de ferro”, ou que tinha a “alma castelhana”, ou ainda “exército espartano”, referências que foram justas pelo grau de comprometimento de Felipão e seus jogadores, pela competência e pelos títulos que não saem da lembrança dos torcedores. Como cronista, viajei o mundo ao lado daquele time e não poupei elogios. Não poderia ser diferente.

Outros tempos

Fora do Grêmio Felipão teve altos e baixos. Baixíssimos. No comando de Portugal, deixou de ganhar uma Euro com duas derrotas, em casa, para a Grécia. Foi melhor na Copa do Mundo, onde conseguiu o quarto lugar, igualando-se a Oto Glória. Na Seleção Brasileira, teve seu maior título: o Mundial. No Palmeiras, ganhou a Copa do Brasil, mas deixou o time em último no Brasileirão e o conduziu para a segunda divisão. Pavoroso. Voltou para a Seleção e enganou com a Copa das Federações. Todos se enganam com ela, tanto que nenhum conseguiu confirmar no mundial. Mas foi na Copa o seu momento mais trágico. Levou dez a um em três dias comandando o time penta campeão. Agora, o Grêmio pede que ele empreste seu trabalho para ganhar títulos. O clube lhe dá a oportunidade de se recuperar do maior vexame do planeta. Vou torcer pelo sucesso do Felipão. Que ele volte a ser o que já foi. Tomara que ele consiga um título importante. A torcida e o clube esperam muito por isso.

De menos

O Grêmio largou bem contra o Vitória. Fez um a zero no primeiro tempo e poderia ter feito mais. Na segunda etapa, o treinador Jorginho forçou o jogo com Caio. E o lateral Breno afundou. Caio marcou dois gols, teve uma bola no poste e ainda teve muitas passagens pelo lado direito. Edinho desapareceu na segunda etapa. Enderson Moreira tinha razão. Breno ainda precisa de um caminho para ser titular do Grêmio. Veio a derrota e agora são duas consecutivas.

Demais

O Cruzeiro continua sendo a grande diferença deste Campeonato Brasileiro. É verdade que empatou com o Botafogo, mas quem assistiu a partida viu que foi um resultado injusto. Na segunda etapa, o time mineiro levou o Botafogo para dentro do seu campo o tempo inteiro. Esse é o Cruzeiro, e explica sua liderança. O Cruzeiro do Mineirão, onde ganha quase tudo, é o mesmo dos outros estádios. Parece que joga sempre em casa e não se constrange em atacar.