Marcos nunca foi santo

Leia o post original por Mauro Beting

O Palmeiras perdia de 5 a 1 para o Figueirense, no Orlando Scarpelli. BR-06. Mais uma bobeada da zaga, o sexto gol catarinense. O sexto gol sofrido por Sérgio.

Em São Paulo, um palmeirense desiludido e desnorteado pensa melhor. E começa a torcer pelo sétimo gol do Figueirense.

Acaba mesmo 6 a 1.

Emerson Leão é demitido como treinador do Alviverde.

Mas o palmeirense não sossega. Liga no dia seguinte cedo para o amigo.

– Fala, Sergião. E aí?

– Pô, cara, que b…, né, lá em Floripa?

– M…, mesmo, Sérgio. Fiquei torcendo feito louco para você tomar o sétimo. Assim o pessoal iria parar de falar dos sete gols que eu tomei do Vitória [pela Copa do Brasil de 2003].

– Ah, Marcão, vai….

Isso é Marcos. Esse foi o Sérgio.

Amigos desde 1992. Eternos palestrinos.

Parabéns, Marcos, pelos 41 anos de vida e de muito humor.

Só você para dar alegria em algumas de nossas desgraças.