Inacabado, Itaquerão ‘perde’ ao menos R$ 12,5 mi por mês e encarece entrada

Leia o post original por Perrone

Projetado para render cerca de R$ 300 milhões por ano ou R$ 25 milhões mensais, o estádio do Corinthians deve gerar estourando R$ 12,5 milhões por mês, em média, em 2014, pelas contas de integrantes do estafe que trabalha na arena. Nos cinco jogos realizados até agora na nova casa corintiana foram arrecadados R$ 8. 342.575,95.

A receita encolhida acontece principalmente porque o estádio está operando inacabado, pois várias instalações eram incompatíveis com as exigências da Fifa e só agora começam a ser preparadas.

Assim, a arena por enquanto depende praticamente apenas da receita de bilheteria para se sustentar. Vale lembrar que o financiamento de R$ 400 milhões feito pelo BNDES, via Caixa Econômica, para a construção do estádio só deve começar a ser pago no ano que vem, já que existe um período de carência.

A falta de outras fontes de receita joga para cima o preço dos ingressos. A cobrança de torcedores por uma redução no valor das entradas dos jogos do Corinthians foi um dos motivos que levaram Andrés Sanchez a anunciar que se afastará da administração da arena a partir do próximo dia 18, véspera do início da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV. Certamente enfrentar essas manifestações não seria saudável para sua campanha a deputado federal.

Uma das fontes de recursos que ainda não foi ativada é a visitação à arena. A expectativa é de que o tour no estádio gere até R$ 40 milhões anuais. Estacionamento completo, restaurante, centro de convenções e camarotes também ainda não estão disponíveis. Os naming rights, avaliados em cerca de R$ 30 milhões anuais, não foram negociados.

Para aumentar os problemas, nos dois primeiros jogos em Itaquera após a Copa do Mundo o setor oeste ainda estava com quatro mil assentos a menos porque as bancadas feitas para imprensa durante o Mundial não tinham sido desmontadas.

Apesar das limitações, a avaliação dos que trabalham no estádio é de que financeiramente ele vai muito bem. Suas receitas nos primeiros jogos superaram os gastos com manutenção, que são de aproximadamente R$ 3 milhões por mês.

O preço dos ingressos na última partida na arena, o clássico diante do Palmeiras, variou entre R$ 25 e R$ 400, de acordo com o borderô da partida. Isso contando meia-entrada e descontos dados no programa de fidelidade do alvinegro.