Valdívia lembra das fotos em Dubai: “Fui lá para ficar de palhaço?”

Leia o post original por blogdoboleiro

Valdívia foi a Dubai, conversou com os donos do Al Fujairah, acertou uma folga de 10 dias, foi aos Estados Unidos com a família. Passeou na Disney. Voltou ao Chile e, ao desembarcar, soube da notícia: “Estranhei tudo, fiquei muito surpreso. Estava tudo certo”, disse o meia chileno que esperava se apresentar ao time dos Emirados Árabes no dia 5, na Alemanha, para a pré-temporada.

Valdívia se sentiu mais do que surpreso. Ele achou que foi feito de trouxa pelos dirigentes do clube árabe. Afinal, até foto com os donos do time ele tirou:

“Eu até coloquei o cachecol. Fui lá, o acerto financeiro já estava assinado. O contrato seria assinado na Alemanha porque era o Ramadã e, neste período, não se faz nada nos Emirados. Tudo normal”, lembrou Valdívia em conversa com o Blog do Boleiro, logo depois da entrevista coletiva que deu nesta quinta-feira.

A conversa com os jornalistas foi longa. Durou mais de uma hora e meia. As declarações de Valdívia foram publicadas com detalhes aqui no Terra. A repetição de perguntas sobre como o jogador soube que o Al Fujairah tinha desistido de sua contratação depois de assinar papéis da transferência com o Palmeiras e de ter tratado detalhes com o próprio Valdívia, mostrou uma coisa: a turma não estava acreditando muito que o meia passou dez dias em Orlando sem ter consultado uma vez sequer a internet. E sem ser avisado por alguém do passo atrás dos árabes.

“Mas é pura verdade. Eu já tinha tirado meus filhos da escola em São Paulo. Não sabia mesmo”, garantiu em mais de uma declaração.

Mas o que deixa mesmo Valdívia agitado é a lembrança das fotos tiradas em Dubai. Além daquela com o cachecol, o chileno saiu em outra, ao lado do sheik presidente do clube, vestindo a camisa listrada do Al Fujairah.

Nesta hora, ele perde a compostura: “Me trataram como se fosse um juvenil. Eu fui até lá, fiz exames médicos, posei para as fotos, usai o cachecol, vesti a camisa para quê? Para ficar de palhaço?”.

Esta história ainda vai render. Valdívia quer vingança. Vai conversar com advogados e saber que tipo de indenização pode cobrar do Al Fujairah. Uma delas é por quebra de acordo assinado. Outra é buscar reparação pelos danos morais causados. Afinal, Valdívia se sente enganado.

Para melhorar o astral, ele vai precisar jogar um pouco pelo Palmeiras. O meia sabe que o técnico Ricardo Gareca, com quem já conversou, quer contar com ele na armação. Com todo respeito, Valdívia diz que vai disputar posição no meio de campo do Palmeiras. Mas sabe que o time anda sofrendo de falta de bons passes na armação.

Ele volta a jogar assim que estiver pronto fisicamente. Afinal, nesta confusão, ele não treinou.