O que eu faria se fosse técnico do Inter ou do Grêmio

Leia o post original por Pedro Ernesto

Diego Vara/Agência RBS

Diego Vara/Agência RBS

Fiquei imaginando o que eu faria se fosse treinador do Inter ou do Grêmio neste Gre-Nal. Pode parecer petulância da minha parte, mas tenho, como qualquer um, o direito de imaginar o que fazer. Se estivesse no lugar do Abelão, eu repetiria o meio-campo dos quatro tenores e somente Willians como volante. Com essa escalação, ele conseguiu uma virada boa no Gre-Nal da Arena, no Gauchão.

No segundo tempo, Abel retirou Jorge Henrique, colocando Alan Patrick. O Inter, que perdia por um a zero, virou o jogo e conquistou uma vitória muito tranquila. Essa mesma escalação deu para o Inter a goleada sobre o Grêmio, no segundo Gre-Nal do Gauchão. Se eu estivesse no lugar do Felipão, eu jogaria com três volantes. Os melhores momentos do Grêmio se localizam na primeira fase da Libertadores. O time estava no então chamado “Grupo da Morte” e conseguiu a classificação em primeiro lugar no grupo e segundo lugar no geral da competição. Edinho, Riveros e Ramiro deram força defensiva e as vitórias se sucederam.

Centroavantes

Barcos está se recuperando como artilheiro. Depois de um período muito ruim, sem gols e enfrentando a desconfiança e vaias fortes dos torcedores, nos dois últimos jogos, ele marcou três vezes, se justificando completamente.

O centroavante pode ser uma arma importante para o Grêmio neste Gre-Nal. No lado colorado, Rafael Moura. Ele sabe fazer gols, basta que lhe sejam colocadas situações favoráveis. Ele é forte, grande cabeceador. Custou a se afirmar no Inter, mas tem a mais absoluta confiança do técnico Abel Braga. Eles podem decidir o clássico de domingo.

Calendário

A CBF divulgou o calendário de 2015. Não tem nenhuma diferença do que ocorreu este ano, a não ser a paralisação do Brasileirão no meio do ano porque não existe Copa do Mundo. De nada, adiantaram os movimentos do Bom Senso Futebol Clube.

O que se vê é manifestação de solidariedade de muita gente, mas sem nenhuma ideia de como proceder. O que fazer para melhorar o calendário? Terminar com regionais significa matar os pequenos clubes. Muito melhor seria dar a eles mais qualidade e racionalidade. Confesso que não vejo muita coisa melhor do que está aí.

Demaaaiiisss

Casa cheia no domingo. O Beira-Rio ficou pequeno pelo grande interesse dos torcedores. O nosso clássico, como já aconteceu no Campeonato Gaúcho na Arena, está reabilitado entre os torcedores. As pessoas querem ir para o estádio e os ingressos precisam ser limitados. É muito bom ir ao estádio e curtir o nosso grande clássico. É um maravilhoso programa de domingo.

De menos

Uma coisa que me desgosta é a cultura que temos de desprestigiar o que é do adversário. O Rio Grande do Sul tem dois campeões da Libertadores, do Mundo, clubes fortes com grandes torcidas e dois estádios maravilhosos. Mas, infelizmente, temos uma grave tendência de desvalorizar o que é do rival.

Os apelidos que se sucedem em relação aos estádios são pejorativos, nada constroem, e tiram o orgulho que deveríamos ter por possuir essas duas grandes agremiações. Essa é a nossa cultura, o nosso jeito de ser. Eu sonho com uma radical transformação para que possamos enxergar virtudes nos rivais. Pode ser ingênuo, mas gostaria muito de ver isso acontecer.