Um mês depois da final da Copa, não avançamos com os bons exemplos

Leia o post original por Pedro Ernesto

Dia 13, completou um mês do jogo final da Copa do Mundo. O que progredimos de lá para cá, o que conseguimos avançar com os bons exemplos? Lamentavelmente, devo admitir que nada, ou quase isso. Nossos estádios estão vazios, as torcidas ditas “organizadas” continuam promovendo arruaças, inovando com emboscadas, briga entre eles mesmas, etc. Nosso campeonato de pontos corridos se arrasta de forma sonolenta.

Na Copa do Brasil, os grandes fazem fiasco. Os índices de audiência da TV começam a baixar. Nossos dirigentes continuam gastando muito mais do que arrecadam levando os clubes à situação de falência ou muito perto disto. Atrasam salários, são obrigados a vender as promessas oriundas da base para fazer caixa. Enquanto isso, importam jogadores veteranos da Europa, na maioria dos casos, ganhando fortunas. Confesso que quase não vejo nada que a Copa tenha deixado de bom para o futebol brasileiro. Mesmo as Arenas, modernas e bonitas, tem ingressos proibitivos, o que acaba por afastar o torcedor de pequeno poder aquisitivo.

Acerto

CBF e Bom Senso, finalmente, conseguiram acordo em alguma coisa. Depois de longa reunião, ficou acertado que será montada uma comissão para cuidar das finanças e colocar a obrigatoriedade dos clubes pagarem salários em dia.

É um primeiro acerto, algo ainda precisando de montagem da estrutura, e que seja esta comissão formada por pessoas sem compromissos com a entidade e/ou os jogadores. Ainda existe um longo caminho a ser percorrido. São muitos os problemas do futebol brasileiro. Mas este já um avanço importante.

Mudanças

Ricardo Duarte/Agência RBS

Ricardo Duarte/Agência RBS

Felipão coloca o lateral Matías para “estrear”. Era muito estranho o fato deste atleta não ter tido oportunidade de começar um jogo. Na lateral esquerda, volta Breno. Ramiro foi parar, outra vez, no meio-campo, agora formando dupla com Fellipe Bastos.

No ataque, deve jogar Lucas Coelho pela lesão sofrida por Barcos. São mudanças importantes feitas pelo técnico do Grêmio. Para meu gosto, a escalação que Felipão está fazendo é muito melhor do que aquela que ele apresentou no Gre-Nal.

De menos

Uma procissão de fiascos dos grandes clubes brasileiros na Copa do Brasil. São clubes que gastam milhões para ter jogadores importantes, imaginando que possam ter um grande time, e que acabam passando por um vexame monstruoso.

Vale para o São Paulo, Inter e Fluminense. Todos derrotados por times que integram a Série B do Brasileirão e cuja folha de pagamentos não chega a um salário de jogadores famosos, mas que não se justificam. Está na hora dos dirigentes dos grandes clubes se darem conta de que não tem adiantado os grandes investimentos. O futebol brasileiro precisa se reinventar. Vale para a Seleção, que fez fiasco na Copa do Mundo, e para os clubes, que também fazem grandes fiascos, constrangendo seus torcedores.

DEMMMMAAAIIISSSS

Fiquei impressionado com o time montado pelo Ceará. Não é à toa que segue líder da Série B e se encaminha muito bem para chegar a Série A em 2015. Nos dois jogos contra o Inter, foi amplamente superior.

No primeiro, no Beira Rio, o Inter, com todos os titulares, foi amplamente dominado. No segundo, o time misto colorado também foi inferior e mereceu perder. O placar agregado foi de 5 a 2 para o Ceará. Ruim, péssimo para os colorados que pagam uma fortuna para ter grandes jogadores e passam por este constrangimento,