Cobrança pública de Mano por Nilmar incomoda diretoria do Corinthians

Leia o post original por Perrone

A diretoria do Corinthians está incomodada com o fato de Mano Menezes pedir publicamente mais um atacante. No caso, Nilmar.

Na última quarta, ele disse: “Estou satisfeito com os jogadores que temos. Só deixei bem claro que precisamos de mais um. A diretoria sabe que podemos ter ou não. Se não tivermos, quando aparecerem as convocações [para seleções], não vamos chorar, né?”.

Para os cartolas, Mano chorou de barriga cheia, pois foi atendido em praticamente todos os seus desejos. Por isso, querem que ele pare com a cobrança.

Os principais exemplos de que o clube transformou em realidade os sonhos do treinador são as contratações de Jadson e Elias, que eram vistos como peças que arrumariam o time.

Declarações públicas a respeito da necessidade de o time trazer mais um atacante deixam os cartolas numa situação delicada diante da torcida. Principalmente porque a grana está curta para contratar Nilmar. O teto salarial do clube é R$ 500 mil, valor recebido por Elias. Mas a oferta para o atacante deve ser de R$ 350 mil.

Por causa da falta de dinheiro no Parque São Jorge, pelo menos dois integrantes da diretoria são contra a vinda de Nilmar por entenderem que o jogador baterá o pé para ganhar um valor perto do que recebe no El Jaish, do Qatar. Os corintianos avaliam que o atacante ganhe entre R$ 800 e R$ 900 mil.

A promessa da diretoria é que não haverá nesta gestão um novo Alexandre Pato, que ganhava R$ 800 mil mensais e, emprestado ao São Paulo, recebe ainda R$ 400 mil do Corinthians.

Em relação a Nilmar, três dirigentes ouvidos pelo blog revelaram preocupação com o fato de o jogador já ter sofrido cirurgias nos ligamentos dos dois joelhões e estar com 30 anos. Isso reforça a decisão de não entrar em leilão pelo atleta, que interessa também ao Inter. E ajuda a mostrar a diferença como a diretoria corintiana e Mano enxergam a negociação com o atacante. Para os cartolas, a contratação é uma opção, que precisa ser viável. Mas para o técnico é uma necessidade.

O caso começará a ser solucionado na próxima semana, quando a direção alvinegra deve se reunir com os representantes de Nilmar.