Como está chato falar da seleção brasileira! Me surpreendi com uma convocação e um ausente

Leia o post original por Vitor Birner

De Vitor Birner

Eu esperava que Dunga resgatasse algum veterano de 2010 na convocação da seleção.

O treinador foi ao Mundial da África do Sul com uma das equipes de média de idade mais alta do Brasil em toda história do torneio, precisa fazer uma reformulação e certamente usaria a experiência de alguém ou de alguns como pilar para formação do novo time.

Não imaginava que seria o Maicon.

Eu teria apostado que Dunga levaria Robinho ou Kaká, apesar de, em campo, ainda não justificarem a volta ao selecionado nacional.

Na prática, ninguém daquele período faz jus, hoje, ao retorno.

Mas o treinador ‘precisa’ de um de seus soldados – assim enxerga os atletas – de confiança e escolheu o lateral-direito.

A presença dele na lista divulgada hoje foi a única que me surpreendeu.

Também tinha convicção que Alan Kardec seria chamado.

Para sorte dos são-paulinos, não foi.

Chegamos, faz anos, neste ponto.

O melhor para o clube é que seus jogadores mais competentes não sejam convocados e valorizados.

A CBF provoca isso ao tirar os boleiros dos jogos  importantes do campeonato brasileiro e até de Libertadores, apesar de a agremiação bancar salários, investir para contratar ou formar o jogador e precisar dele.

O torcedor, aquele que acompanha o futebol do dia-a-dia e não apenas os grandes eventos, só sente orgulho ao ver o atleta de seu time com a camisa verde e amarela quando acontece um grande clássico de seleções ou a Copa do Mundo.

Neste momento, o assunto seleção brasileira está gelado, chato e virou algo protocolar.

Não mexe com as emoções da maioria dos torcedores.

Parece discussão de burocracia institucional de empresa atrasada.

Um enorme tédio.

De qualquer maneira, trabalhar o time para as eliminatórias é importante, pois mesmo com o Brasil sendo um dos favoritos para ficar com uma das vagas à Copa do Mundo da Rússia, corre algum risco, pequeno na verdade, de ser eliminado.

Detalhe

Ramires também foi ao Mundial em que Dunga comandou a seleção, mas não o coloquei na lista de surpresas ou de veteranos porque tem idade para jogar a competição outra vez e fazer parte dos elencos de times do primeiro escalão do futebol europeu.