De punição no futebol eu sou especialista!

Leia o post original por Neto

Nunca neguei que sempre fui um jogador rebelde. Meio louco e explosivo, pra falar bem a verdade. Mas os cartões amarelos, vermelhos e algumas punições me ensinaram a corrigir algumas falhas na carreira. Até por isso tenho propriedade para analisar o caso atual envolvendo o corintiano Petros. É muito óbvio aos meus olhos que ele mereceu sim ser punido. Afinal o rapaz deu um encontrão proposital no árbitro Raphael Klaus. Mas 180 dias, ou melhor, seis meses foi muita coisa. Exagero. Pelo amor de Deus! Existiram na história várias outras situações muito piores de agressão aos árbitros que o STJD simplesmente ignorou. Ou até puniu com menos rigor.

Tive uma experiência negativa parecida com a do jogador do Timão. Em 1991 durante um clássico entre Corinthians e Palmeiras pelo Campeonato Paulista, indignado com a arbitragem do José Aparecido de Oliveira, cuspi no rosto dele após levar um cartão vermelho (veja abaixo). Foi uma atitude ridícula que me rendeu 120 dias de gancho. Eu merecia muito mais! E pra mim o que fiz foi muito mais grave que o lance do Petros. Não tenho vergonha em admitir e mostrar meu erro.