Marcelo Teixeira lança Modesto Roma Júnior para presidência do Santos

Leia o post original por Perrone

Numa reunião que terminou no início desta tarde, Modesto Roma Júnior foi lançado candidato à presidência do Santos por Marcelo Teixeira, ex-presidente do clube, hoje opositor, apesar de ele não gostar de ser chamado assim. A eleição acontecerá em dezembro e a situação ainda não oficializou seu candidato.

Outros grupos de oposição participaram do encontro, mas ainda não anunciaram apoio ao nome escolhido por Teixeira. Ficaram de consultar seus pares e responder. É provável que exista mais de um opositor concorrendo ao cargo.

Modesto atuou em várias áreas na Vila Belmiro e foi supervisor administrativo na última administração de Teixeira. Seu pai foi presidente do clube na década de 1970.

Ao blog, Modesto afirmou que defende a construção de uma arena santista, mas disse que o assunto ainda precisa ser mais debatido. Leia abaixo trechos da entrevista.

Sobre a candidatura

“Vamos pelo menos tentar aglutinar as oposições. Nunca tive pretensão de ser presidente, mas acho que o Santos precisa ter um grupo forte para dar um novo rumo ao clube. O rumo está ruim atualmente

Sobre disputar a presidência de um clube com dívidas e receitas antecipadas

“O Santos tem algumas receitas futuras comprometidas. A gente não sabe exatamente qual o tamanho do buraco. Mas sabe que é de pelo menos R$ 300 milhões, R$ 400 milhões. Vamos ter que administrar essa situação com um grupo forte, com capacidade de administrar uma crise. É uma crise? Claro que é. E alguém tem que administrar essa crise. Esse foi o compromisso que assumi. O Marcelo Teixeira não pode assumir o clube porque tem compromissos particulares. Então assumi, se ganhar, vou administrar o clube com pessoas competentes. O Santos vive um regime de administração colegiada, não é o que eu mais aprecio, mas enquanto não é alterado, vamos respeitar a lei do clube.”

Planos para o futebol

“O Santos, se não tiver futebol forte, não vai ter receita de TV, público, patrocínio. Vou ter que economizar, então vou fazer um futebol ruim? Não, não posso. O Santos tem que criar receitas com futebol forte. Qual é o grande aliado do Santos? O Santos sempre teve uma base de primeira qualidade. Diziam do Pelé que o raio não cai duas vezes no mesmo lugar. Cai, sim. Caiu Pelé, Robinho, Neymar, Gabriel e vão cair outros. O Santos tem uma base bem estruturada. O surgimento desses jogadores não é acidente. É decorrente de um trabalho muito bem feito. E não é de hoje. É de muitos anos”.

Estádio

“Arrendar o Pacaembu é um problema. É um prédio tombado, não se pode nem construir banheiro, tem que usaro  banheiro químico. Será que é a melhor opção ou vai ser um custo como foi o Engenhão para o Botafogo? Acho que o Santos perdeu o bonde da história agora antes da Copa. Mas o Santos tem que recuperar esse tempo perdido porque os outros têm uma arena, e o Santos não tem. Agora não sei se é uma arena em Santos, em São Paulo, em São Vicente. Então é uma questão de a gente estudar. Temos que conversar com todos os grupos que querem o Santos maior e ver o consenso.”