A volta de Barcos aumentará a força ofensiva do Grêmio

Leia o post original por Pedro Ernesto

Jogadores do Fluminense, liderados por Fred, podem fazer a maior revolução dos últimos tempos no futebol brasileiro. Depois de agredidos no Aeroporto Santos Dumont por 20 raivosos torcedores, decidiram tomar atitude. Fred escreveu nas redes sociais que, se a direção do clube e as autoridades não adotarem postura rígida, vão fazer greve. Os jogadores não entrariam em campo domingo, contra o Sport.

Essa é uma importante tomada de decisão dos jogadores. Não é mais possível que sejam agredidos em aeroportos, treinos e saída dos estádios. A marginalidade prospera geometricamente graças à impunidade irritante de autoridades que dão muitos discursos e agem pouco. Os dirigentes ou se omitem ou ficam com medo dos marginais que os ameaçam. Com essa greve, os jogadores deixarão claro que a culpa passa a ser desses vândalos que tumultuam o ambiente do futebol.

Barcos

O centroavante deve voltar neste domingo, contra o Corinthians. Aumentará a força ofensiva do Grêmio, mas está longe de ser solução definitiva. Neste domingo, a dificuldade será ainda maior, pois o time de Mano Menezes tem a melhor defesa do Brasileirão. A vitória se impõe. O Grêmio fica para trás a cada rodada.
Nem a vinda de Felipão salvou o time, mesmo que o desempenho apresente sensíveis sinais de melhora. Mas faltam vitórias. Com o novo técnico, foram quatro jogos – um deles com o treino à distância – e uma vitória. Precisa mais.

Desafio

As duas vitórias obtidas pelo Inter fora foram contra times menores e com gols estranhos. Valeram pelos pontos. Mas o Inter não consegue ganhar de rivais de primeira linha. O Galo está em crise, mas tem bala na agulha. O desafio colorado será ganhar esse jogo e continuar na perseguição ao Cruzeiro. Abel Braga só não terá Willians. A torcida espera um sábado de vitória expressiva.

Demmmaaaiissss

Fred foi muito mal na Copa e está pior no Fluminense. Neste momento, assume liderança entre seus companheiros e promete greve se dirigentes e autoridades nada fizerem para coibir as agressões de parte de marginais. Ele pode ser o cara que mudará as relações do futebol com os torcedores mafiosos e contribuirá muito para o futebol.

De menos

Enquanto jogadores procuram instrumentos de defesa contra os marginais que giram em torno do futebol, o presidente do Fluminense, Peter Siemsen, critica Fred. Da razão a bandidos contra o parecer de seus jogadores. Aí mira o problema. Os dirigentes convivem com a marginalidade e as autoridades nada definem. Nada acontece a quem coloca terror no futebol.