A Copa Sul-Americana não deve ser menosprezada

Leia o post original por Pedro Ernesto

Abel Braga/Agência RBS

Abel Braga/Agência RBS

Não quero entender que o Inter esteja menosprezando a Sul-Americana. Logo o Inter, o primeiro brasileiro a ser campeão dela e que tanto festejou a conquista em 2008. Vale ressaltar que não está fácil ser campeão brasileiro pela campanha invejável do Cruzeiro. Tem ainda o crescimento do São Paulo, a afirmação do Corinthians e a retomada do Fluminense depois da crise de seus jogadores com as organizadas e o 4 a 0 no Sport. Não se tem nenhuma certeza de sucesso do Inter no Brasileirão. Nem de classificação no G4 e consequente ida à Libertadores, muito menos de título, que não conquista desde 1979. Faz muito tempo.

A Sul Americana pode ser uma grande conquista e leva à Libertadores, à Recopa e à Copa Suruga. Não é pouco. Abel Braga poupará jogadores por necessidade. São veteranos que não aguentam jogos duas vezes por semana, têm recuperação mais lenta. Mas quero acreditar que o Inter não esteja abrindo mão dessa competição. A torcida não concordaria. Seja qual for o time escalado por Abel, será o melhor possível. É só assim que entendo a postura colorada.

Hora do Felipão

Entre as especialidades do técnico do Grêmio está o mata-mata. Felipão foi campeão da Copa do Brasil quatro vezes. O Grêmio, com ou sem ele, também. Temos aí um profissional e um clube com a cultura da competição. O caminho não é fácil. Começa com o Santos. Sorte do Grêmio que Robinho não deverá atuar quinta-feira. Ele faz muita diferença. Sua lesão é muscular e, se voltar, será na Vila Belmiro, dia 3. Felipão tem problemas para escalar volantes. Fellipe Bastos está fora porque já jogou pelo Vasco. Riveros e Edinho estão lesionados. Mas não vejo muito problema nisso. Os volantes se parecem em defeitos e virtudes. Seja quem for, a capacidade do time não se altera. É a hora do Felipão, da competição que ele gosta e na qual teve muito sucesso.

Bom Senso F.C.

Depois de ouvir clubes da elite do Brasileirão, a Rede Globo marcou encontro com os líderes do Bom Senso F.C.. A emissora, que investe R$ 2 bilhões anuais em futebol, pretende ouvir o que pensam os jogadores. Pelo que sei, buscam regionais menores e competições nacionais mais longas. Para jogadores de grandes clubes, uma beleza. Não sei como poderão encontrar trabalho para os dos pequenos, que recebem salários baixos e são a maioria. Há formas de resolver esse impasse. Mas os milionários do futebol brasileiro não podem pensar apenas no seu bem-estar em detrimento da maioria, muito pobre. Quero saudar o encontro. Afinal, é conversando que as pessoas se entendem.

Demmmmaaaiiisss

Marcelo Grohe se consagra, cada vez mais, como um dos grandes goleiros do futebol brasileiro. Não são poucos os jogos em que salva o Grêmio. Suas virtudes são grandes. Começam pela liderança que exerce e pela educação e comportamento. Grohe tem elasticidade e faz defesas que parecem impossíveis, sabe sair do gol. Quase nunca erra. Os gremistas reconhecem sua competência.

De menos

Jogo às 20h é problema sério. Penso ser pior do que às 22h. O torcedor precisa encarar a hora do pico, com ruas congestionadas pelo número de automóveis, que só aumenta. Esse será o horário de Grêmio x Santos quinta-feira. Os gremistas entendem que o melhor caminho está na Copa do Brasil. É importante chegar cedo e evitar atropelos na chegada à Arena.