Vasco x Avaí | Vitória ou 1×1?

Leia o post original por Bruno Maia

adilson

Mais uma partida em São Januário nesta saga pela segunda divisão. Agora, contra o “poderoso” Avaí. Até aqui, nove jovos com mando de campo vascaíno (alguns fora de S.Januário, é verdade) e o resultado é simples: ou o Vasco vence ou empata de 1×1.

Esse 1×1 em casa é sintomático de uma postura repetida deste time do Adílson: a incapacidade de se impor do tamanho que o Vasco é, sempre com um pé no freio. Desses quatro empates, em três deles o Vasco saiu na frente. Ou seja, saímos na frente, jogando em casa, com adversários visivelmente mais fracos que nós e, no final, não vencemos. Só estes seis pontos já nos colocariam numa situação de ter cinco de vantagem sobre o atual líder, com um jogo a menos. Um cenário muito mais apropriado e real da diferença que separa o Vasco dos demais clubes deste torneio.

Como consequência disso, chegamos a última rodada do turno em condições de sermos os “campeões” dele, mas também com medo de sair do G4. A principal lição que esta primeira metade do campeonato deveria ter deixado para Adílson Batista e para o elenco é de que o Vasco precisa se comportar como Vasco na segunda divisão, ou seja: ter altivez e se impor como maior. Isso não é da boca pra fora, não. Isso tem a ver com a postura em campo, com a busca por mais gols, com o ímpeto de querer golear quando for possível. Nada é bom para o Vasco na segunda divisão. Nada é suficiente. Tem que querer mais em todos os jogos. O receio dos jogadores misturado com a vontade de Adílson de inventar algo novo, de testar seu lado Guardiola-do-pinhão, atrapalha o Vasco e gera mais insegurança nos jogadores. Foi essa insegurança que tomou o empate nesses jogos. A única partida em que o time se portou diferente, venceu o Ceará por 2×0, em São Januário, quando o adversário era o líder da competição.

Hoje diante do Avaí, o time vem todo modificado em função de suspensões. Definitivamente não é a melhor escalação do Vasco e a tendência é vermos uma equipe com ainda menos confiança diante dos catarinenses, que vem subindo na competição. Depois de jogar com Diego Renan, Henrique e Marlon, na ausência deste último, Adílson vem agora com o menino Lorran. Além dele, Aranda e Montoya estarão em campo ao mesmo tempo e desde o início, aumentando minha apreensão. Voltando à pergunta do título do post, infelizmente minha intuição hoje não é de vitória, apesar da esperança ser de que o Vasco do Adílson entenda logo que, na verdade, é o Vasco da Gama.