AQUI NÃO É FUTEBOL JAPONÊS, LEVIR.

Leia o post original por K.O.N.G

Sem espada afiada, o samurai não mata ninguém.

Fala, cambada.

Não sei vocês, mas sou da época em que não se achava normal empate com time que está na zona do rebaixamento, independente da circunstância. Fico vendo, abismado, Levir falando que foi jogo “estilo Libertadores”. Como assim, cabrón? Estilo Libertadores contra um dos quatro piores da competição? Isso só pode ser brincadeira.

Dá um desânimo danado, porque, se o técnico não demonstra nenhum tipo de ambição ou insatisfação com os resultados ruins, fica parecendo que o mesmo acontece com seus comandados. Aí tanto faz se o time vai chegar na Libertadores, na Sulamericana ou ser rebaixado. Para vocês terem uma idéia da incompetência dessa galera – incluindo todo mundo – o Flamengo, que há 3 rodadas era o lanterna do campeonato, hoje está na nossa cola, com uma diferença de 2 pontos. Na moral, não tem como achar isso normal Levir. Quer dizer, até tem… se formos baixar sua ficha, veremos que você durante 6 anos foi um técnico mediano no medíocre futebol japonês e isso explica muita coisa. Sequer conseguiu ser campeão da J League 2 (a segundona dos caras) e o mais alto que conseguiu chegar na elite japonesa foi em terceiro lugar com o Osaka, em 2010. Para você isso pode ser até um grande resultado, mas pra gente não é. Esses seis anos disputando meio de tabela por lá certamente fizeram você esquecer como é que funcionam as coisas no Brasil, a cobrança por resultados e a percepção de qualidade, tanto dos adversários quanto do seu próprio trabalho. No Japão pode até ser normal, mas aqui não aceitamos empatar com times inexpressivos ou que não almejam nada dentro do campeonato. Se bem que se formos analisar friamente, você acabou transformando o Galo num desses times que não têm absolutamente nenhuma pretensão no Brasileiro 2014. Se eu estiver enganado, prove.

“Ah, mas não é culpa do treinador, olha o elenco que ele tem nas mãos…” Vai me desculpar, mas foram inúmeras vezes que o próprio técnico veio a público dizer que o elenco é excelente, que não precisava de mais nenhum jogador, que estava tudo ótimo, mesmo quando era visível a fragilidade do nosso grupo de jogadores. Se o técnico não reclama, a diretoria não corre atrás, obviamente. Imagina um Maluf acomodado? Deus me livre.

Não sei quais são os planos da diretoria para o futuro do Galo. Eu, fosse presidente, corria com Levir agora mesmo, nem esperaria o time ser desclassificado da Copa do Brasil para tomar providência. Traria o Tite e começaria a planejar o Galo de 2015 e o que viesse em 2014 seria lucro. Como o atual técnico não vai ficar para o ano que vem mesmo, não faz nenhum sentido manter o cara no comando, a não ser que a idéia seja jogar a próxima temporada no lixo também.

Acorda Galo.

***

Galera, os calendários do Terreirão estão de volta! Serão assinados por ninguém menos que José Augusto, um grande brother e umas das feras da nova geração do design alvinegro. Né por nada não, mas o cara é muito feroz e fiquei felizão quando ele topou essa parceria. Seja bem vindo ao time, meu velho! Na estréia, justa homenagem à Tardelli, artilheiro que completou recentemente 200 jogos com o manto mais sagrado das alterosas. Clique aqui para baixar a versão em alta resolução do calendário com os jogos do Galo no mês de setembro.