Pedro Ernesto: Grêmio inaugura uma nova modalidade de punição

Leia o post original por Pedro Ernesto

Tudo se encaminhava para a decisão tomada pelo STJD. O próprio procurador, Paulo Schmitt, chegou a quase fazer um pré-julgamento. Não deu outra. O Grêmio foi eliminado, em primeira instância, da Copa do Brasil. Não tenho elementos para definir se isto é justo ou injusto. O que sei é que o Grêmio inaugura uma nova modalidade de punição. Isto parece um exagero, já que outros clubes, com o mesmo problema, foram apenas multados. Estranho, muito estrando. Ou teria sido o clamor popular que determinou este comportamento do tribunal? Esta é uma punição que marca o clube, o que não é bom.

No entanto, do ponto de vista da competição, o resultado de campo praticamente eliminou o Grêmio da Copa do Brasil. Ou será que dá para imaginar como provável que o ataque do Grêmio, que tem sido de uma incompetência absoluta, marcaria três gols na Vila Belmiro? Poder marcar, pode. Mas seria muito improvável. Cabe recurso, mas como a condenação se deu, por unanimidade, é, também, muito improvável que o Grêmio tenha sucesso. Este é um assunto polêmico. Nas redes sociais, todos opinam, cada um com uma opinião diferente. Agora é tocar avida pelo Brasileirão.

Escalação

:FERNANDO GOMES/AGÊNCIA RBS

:FERNANDO GOMES/AGÊNCIA RBS

Cabe ao treinador Luiz Felipe Scolari e ao grupo de jogadores do Grêmio ficar fora destas questões que tem a ver com o Tribunal. A vitória sobre o Bahia deixou o time a quatro pontos do G4. Existe, portanto, grande expectativa de, pelo menos, uma vaga na Libertadores. Não é tudo que o torcedor quer, mas é um grande consolo.
Neste sábado tem jogo importante e difícil contra o Flamengo. Luxemburgo conseguiu cinco vitórias consecutivas. O Maracanã vai transbordar de torcedores flamenguistas. Felipão terá de mudar o time. Não sabe se irá com dois ou três volantes. Os jogadores que não podem jogar não fazem grande diferença técnica em relação aos que estarão em campo. Uma boa vitória no Maracanã será uma grande alegria para os torcedores, que passaram por uma semana complicada.

Sul-Americana
Vamos fazer um acordo: o Inter largou a Copa Sul-Americana. Por duas razões bem objetivas. A primeira porque levou 2 a 0 do Bahia em seu estádio. A segunda porque nunca fez muita questão da competição. Aliás, na Copa do Brasil não foi muito diferente. Decisões polêmicas. O Inter está mesmo focado no Brasileirão, onde é vice líder e pode até ser campeão.

Hoje, contra o Bahia, joga um time praticamente reserva. Pode ganhar, mas dificilmente sairá da Fonte Nova com a classificação para a próxima etapa. Isto acontecendo, o clube estará focado apenas no Brasileirão. Se tiver sucesso, tudo estará justificado. Caso contrário, os colorados vão ter que dar muita explicação.

Demaaaiiss!!!
É verdade que o Grêmio esperou muito para enfrentar, objetivamente, a Geral. Não é menos verdade que o Grêmio, apesar da dura punição, trabalhou bem para enfrentar o julgamento de ontem. Como disse o presidente Fábio Koff, o clube fez tudo que estava ao seu alcance. Certamente, depois desta punição teremos torcedores com melhor comportamento. Teremos um público torcendo para o clube, e não arrumando problemas. No meio de tanta coisa ruim, este é o lado que sobra como produtivo.

De menos
Sem querer dar parecer jurídico por falta de formação no assunto, quero reiterar que o Tribunal não manteve a jurisprudência. Os clubes que tiveram problemas de racismo nos seus estádios foram multados, nunca eliminados de competições. Alguns jornalistas e ex-jogadores travestidos de jornalistas incendiaram o processo, mancharam a imagem do clube. O Grêmio nunca foi um clube racista. Não faltam provas para isso. Como em qualquer time do mundo, em sua torcida tem de tudo. Sendo assim, não merece ser rotulado por pessoas da imprensa como racista.