Saiba como foi a conturbada reunião que provocou a queda de Juvenal

Leia o post original por Perrone

Pouco antes das 16 horas desta segunda, dia em que Juvenal Juvêncio foi demitido da direção de futebol amador do São Paulo, Muricy Ramalho recebeu uma mensagem de Carlos Miguei Aidar em seu celular. O presidente avisava que JJ tentaria minar a relação entre eles.

O auxiliar Milton Cruz e o diretor Gustavo Vieira de Oliveira receberam o mesmo recado em seus telefones. Cerca de uma hora após o envio das mensagens, Juvenal deu entrevista ao UOL Esporte afirmando que o presidente pretende demitir o trio no final do ano. A declaração do ex-dirigente foi dada logo depois de uma bélica reunião que ele teve com seu sucessor.

Aidar mostrou a Juvenal a nota oficial que o ex-presidente divulgou na semana passada para rebater as críticas feitas por seu antecessor em entrevista à “Folha de S. Paulo”. Indagou o que JJ quis dizer quando afirmou que não deixaria a direção de futebol amador porque “a base é o futuro do São Paulo e não poderá cair em mãos de aventureiros, sobretudo daqueles que (conhecemos muito bem), devem estar pressurosos por isso”.

O presidente disse a Juvenal que a insinuação sobre o interesse nas categorias de base já seria suficiente para que ele fosse demitido. Em meio ao bate boca, Juvenal afirmou que Aidar faz um tratamento de beleza que afetou seus neurônios. Como resposta, o presidente preguntou se seu interlocutor se olhou no espelho.  Juvenal faz tratamento contra um câncer.

Aidar também afirmou que não havia mais espaço para os dois no clube e tirou da gaveta duas cartas para Juvenal escolher qual seria validada. Numa delas, JJ assinaria um texto no qual afirmaria que pediu demissão espontaneamente e que deixava o clube feliz pelos títulos conquistados. Nesse caso, o ex-presidente ainda receberia uma homenagem de seu sucessor.

Na outra versão, a que acabou valendo, Aidar demitia seu diretor de futebol amador. JJ mandou Aidar para aquele  lugar e saiu da sala disparando xingamentos, como ele mesmo afirmou ao canal Fox Sports na noite de segunda. Pouco depois, aconteceu uma reunião extraordinária de diretoria. Nela, Aidar encarregou José Moreira, diretor administrativo, de pedir nesta terça que Juvenal devolvesse o carro do clube que usava como diretor, além de liberar dos serviços o motorista e o segurança que o acompanhavam. Juvenal alega que fez a devolução na segunda à noite mesmo, sem o presidente saber.

No mesmo encontro, o vice-presidente Roberto Natel confirmou o que dissera ao blog antes de ir ao Morumbi e pediu demissão. Ele ainda afirmou que Aidar estava dando ouvido a fofocas de mulheres referindo-se a funcionárias do clube. Mais nenhum dos presentes pediu para sair. Porém, João Paulo de Jesus Lopes, vice de administração e finanças, e Júlio Casares, vice de marketing, não compareceram por estarem viajando.