Em relatório juiz diz que Valdívia “pisou na nádega” de Amaral

Leia o post original por blogdoboleiro

O presidente do Palmeiras vai decidir se o clube protesta ou não oficialmente contra o árbitro Anderson Daronco (RS), que apitou partida contra o Flamengo na noite desta quarta-feira no Pacaembu. O jogo terminou empatado (2 a 2) e os palmeirenses reclamaram muito de erros nos gols do time carioca, além de um pênalti sobre Henrique, não anotado pelo juiz.

O executivo de futebol José Carlos Brunoro foi o porta-voz da insatisfação verde. “Não há jogador que se mantenha tranquilo com uma arbitragem dessas. Toda vez tem problema de arbitragem, hoje foi escandalosa. Na mão na bola, o árbitro de linha estava em cima. No pênalti, o auxiliar estava bem posicionado, não tem desculpa. Para a gente falar de arbitragem, é muito raro”, disse o dirigente.

O toque na mão foi do atacante do Flamengo, Eduardo da Silva, no lance do segundo gol. A penalidade máxima foi cometida sobre o atacante Henrique. “Erros assim vão irritando os jogadores”, disse Brunoro.

Por ele, o Palmeiras faria protesto oficial. Mas o executivo sabe que esta é uma decisão que cabe ao presidente. “Ele é quem decide. Trata-se de uma coisa entre presidentes de Palmeiras e CBF”, afirmou.

A expulsão de Valdívia atrapalha uma ação mais dura do Palmeiras na CBF. Afinal, o meia chileno será julgado pelo STJD, por ter pisado em Amaral aos 36 minutos da segunda etapa. “Eu fiz cagada”, admitiu o jogador.

O juiz Daronco colocou na súmula que Valdívia “pisou na nádega” de Amaral e não usou o termo “agressão”, ressaltando que o flamenguista não sofreu lesão e continuou jogando normalmente. Valdívia disse em entrevista depois do jogo que espera não sofrer uma pena pesada do STJD.