Cartolas do SPFC reclamam de barraco e apontam Corinthians mais discreto

Leia o post original por Perrone

Conselheiros do São Paulo estão envergonhados por causa da lavagem de roupa suja em público entre Carlos Miguel Aidar e Juvenal Juvêncio. Afirmam que foi quebrada a tradição tricolor de resolver seus problemas internamente.

Para parte deles o constrangimento é maior ainda por causa do rival Corinthians. Cartolas são-paulinos que têm contato com dirigentes corintianos afirmam que em conversas informais o grupo de Andrés Sanchez ataca a administração de Mário Gobbi. E vice-versa. Só que longe das câmeras. Até Juvenal Juvêncio, durante entrevista ao canal “Fox Sports”, disse que nos bastidores Andrés faz a caveira de Gobbi. De fato, essa guerra interna abala o alvinegro, mas em público atual e ex-presidente trocam afagos.

A avaliação dos são-paulinos é que, tradicionalmente, o rival sempre deixou suas crises saírem pelos portões do Parque São Jorge. Nas palavras de um ex-diretor da gestão de Juvenal, neste momento houve uma inversão de papéis e os corintianos são mais estadistas do que os são-pauiinos.

No começo da confusão, a queixa era com Aidar, que deu entrevista para a “Folha de S.Paulo” detonando a administração de Juvenal. Porém, até fiéis escudeiros de JJ reclamaram do ex-presidente depois que ele passou a ridicularizar Aidar, desqualificando o dirigente que ele mesmo ungiu como candidato à presidência da situação.

O tiroteio tornou públicas suspeitas de irregularidades nas categorias de base, mordomias para dirigentes, queixas sobre comissões pagas a empresários, ataques a parente de dirigente (Aidar afirma que sua filha Mariana deixou o cargo de sua assessora por causa de críticas injustas da oposição) e até um suposto plano para a demissão de Muricy Ramalho, que o atual presidente nega existir.