Cinco personagens que resistem à crise palmeirense

Leia o post original por Perrone

1 – Paulo Nobre – Apesar da grave crise, o presidente mantém suas chances de reeleição, ao contrário do que aconteceu com seu antecessor, Arnaldo Tirone. O ex-presidente não resistiu à campanha do último rebaixamento do clube e nem tentou o segundo mandato. Demonstração de poder do cartola foi dada ao conseguir aprovar a fórmula para receber os mais de R$ 100 milhões que o alviverde deve a ele. O apoio do ex-presidente Mustafá Contursi tem sido fundamental para a sustentação política de Nobre.

2 – José Carlos Brunoro – Principal executivo do clube tem a imagem desgastada a cada derrota. Seu nome é associado a mais de 30 contratações feitas pela atual administração e que são criticadas por conselheiros do clube. O dirigente começou a perder prestígio logo no início da atual administração ao negociar Barcos com o Grêmio. Nobre tirou poder de Brunoro, mas o mantém no cargo.

3 – Omar Feitosa – O gerente de futebol é a figura mais criticada no clube juntamente com Brunoro. Chegou a bater boca em público com um dos conselheiros, aumentando os pedidos por sua demissão, que não foram atendidos por Nobre.

4 – Fernando Miranda – É questionado por causa do desempenho dos goleiros palmeirenses. Defensores do argentino Ricardo Gareca afirmam que o treinador foi prejudicado pela insistência do preparador de goleiros em manter Fábio como titular. E o técnico caiu justamente quando havia decidido trocar de arqueiro. Dorival Júnior fez a mudança, mas Deola falhou em pelo menos dois gols em duas partidas, o que faz o trabalho de Fernando, amigo do peito do ex-goleiro Marcos, ser ainda mais criticado. O funcionário do clube também mantém amizade com influentes conselheiros, como Alberto Strufaldi Neto, presidente do COF, Conselho de Orietnação e Fiscalização.

5 – Valdivia – O chileno mantém sua rotina de lesões e segue desfalcando o time em momentos importantes. Na humilhante derrota por 6 a 0 para o Goiás, ele não jogou por ter levado um cartão vermelho infantil na partida contra o Flamengo. A diretoria que se desentendeu com o zagueiro Henrique e o atacante Alan Kardec não consegue resolver o problema que Valdivia virou para o clube.