Grêmio tem a melhor defesa, mas precisa atacar

Leia o post original por Pedro Ernesto

Diego Vara/Agência RBS

Diego Vara/Agência RBS

O Grêmio tem a melhor defesa do Brasileirão. Faz uma data que Marcelo Grohe não leva gols. A última vez foi contra o Santos, no gol marcado por Robinho, pela Copa do Brasil, no 28 de agosto. Espetacular desempenho. Só que tem um problema: Felipão faz, com sucesso, um grande ferrolho defensivo, mas seu time não consegue atacar. Como Renato, no ano passado, joga por uma bola. Claro que, ao longo do jogo, podem aparecer outras oportunidades. Só que os atacantes do Grêmio não são talentosos a ponto de ter um grande aproveitamento. Mesmo assim, o Grêmio vai crescendo na tabela. Está em quinto lugar e na pegada dos dianteiros. Esta semana tem dois jogos fora de casa. Não chega a ser grande problema, já que o time consegue jogar mais fora de casa. As atrapalhações acontecem em casa, quando precisa atacar. Lá fora, recua e sai no contra ataque. Sendo assim, pode-se imaginar uma semana com bons pontos somados. O Fluminense está cheio de problemas e o Botafogo é um problema só. Pode dar Grêmio.

Nota oficial

Rafael Moura está com mais notas oficiais do que gols. É um jogador sensível a criticas. Deve ser pilhado por algum assessor. Tem muito assessor de imprensa no futebol que ao invés de servir de elo entre o clube e os meios de comunicação, prefere a corneta. Quando trabalhavam nos veículos faziam o que se faz hoje. Ele deveria imaginar, como centroavante de um grande clube, que seria criticado caso ficasse quase 1000 minutos sem marcar gols. Gostaria muito de ver uma nota oficial de Rafael Moura quando ele foi muito elogiado nos Gre-Nais do Gauchão, quando ele jogou bem e marcou gols.

Tomara que ele faça muitos gols contra o Criciúma, mas não tem sido uma constante na sua vida profissional nos últimos jogos. Dizer isto não é falta de respeito. É o óbvio, e que jogador e assessores deveriam saber.

Desempenho

Vale para o Inter e para o Grêmio. Os resultados têm sido muito bons, as colocações na tabela são boas também. O que preocupa é o desempenho dos times. O Inter acertou a escalação, mas ainda não encontrou a qualidade possível. Não troca três passes mesmo tendo jogadores de qualidade. Já o Grêmio se resume a uma grande retranca. Não é proibido. No ano passado, com Renato no comando e a mesma forma de jogar, foi vice-campeão e conquistou vaga na Libertadores. Espero que repita, mas os torcedores ficariam felizes se jogassem mais.

É demais

É centenário do Palmeiras e o time vai de mal a pior. É lanterna e acaba de levar 6 a 0 do Goiás. Ao mesmo tempo, anuncia uma pré-inaugurarão do seu novo estádio, uma Arena linda, moderna, toda verde para acompanhar as cores do clube. Um filme dirigido pelo jornalista Mauro Beting será apresentado para três mil pessoas neste sábado. Serão convidados da W. Torre, a construtora responsável pelo novo estádio. Mesmo num tempo de sérios problemas do time, se pode ter boas noticias. O ano do centenário do Palmeiras pode levar o clube, pela terceira vez, a segunda divisão, mas também será o ano do novo estádio. Um novo momento de um grande clube brasileiro.

É de menos

A violência parece não ter fim no futebol brasileiro. Nos dois grandes clássicos – Cruzeiro e Atlético e Corinthians e São Paulo – quando tivemos grandes jogos, com muitos gols e um belo futebol. Mas, fora do campo, onde transitam torcedores, a violência tomou conta. Cadeiras quebradas, rojões estourando, briga campal, armas nas mãos dos vândalos. Um coquetel de violência e vandalismo. Tudo isto vai parar no STJD. Espero que os auditores tomem medidas fortes contra os torcedores e clubes. Esta evolução precisa ser cortada.