Classificação contradiz risco de ‘espanholização’ do Brasileiro

Leia o post original por Perrone

O dinheiro pago pela Globo para transmitir as partidas dos clubes brasileiros precisa ser distribuído de maneira mais equilibrada, caso contrário o Campeonato Nacional vai sofrer uma “espanholização”. Os mesmos dois times vão disparar sempre na ponta, como costuma acontecer com Barcelona e Real Madrid na Espanha. Essa é a tese defendida por cartolas que querem diminuir a diferença entre o que seus clubes ganham em relação a Flamengo e Corinthians. Porém, a classificação do Nacional deste ano joga contra o argumento. A começar pelo bicampeão Cruzeiro.

Primeiro colocado, o clube mineiro foi apenas o sétimo que mais recebeu dinheiro da emissora no ano passado, de acordo com ranking elaborado pelo Itaú BBA baseado nos balanços financeiros das agremiações. A lista não diferencia receitas antecipadas.

O bicampeão Nacional arrecadou R$ 50, 8 milhões a menos do que o Flamengo, líder em receitas da TV e apenas 10º colocado do Brasileirão. Vale lembrar que a ordem das equipes que mais recebem da Globo pouco muda durante a vigência do contrato porque as quantias anuais sofrem poucas alterações. O que mais muda é o dinheiro do pay-per-view.

Quarto colocado da competição e segundo time que mais recebeu da Globo no ano passado, o Corinthians ficou uma posição atrás do Internacional, que ganhou R$ 48,3 milhões a menos que o alvinegro pela transmissão de seus jogos em 2013. O Colorado é apenas o 10º na tabela de contratos de TV mais polpudos.

Outro exemplo de que receber bem da Globo não significa fazer seus adversários menos favorecidos comerem poeira é o Palmeiras. O clube paulista registrou a terceira maior cota de TV referente a 2013, ainda de acordo com o Itaú BBA e independentemente de antecipações, mas amargou a 16º posição do Nacional. O alviverde ficou cinco colocações atrás do Sport, que recebeu R$ 31 milhões a menos do que ele da TV em 2013.

Porém, ao mesmo tempo em que a tabela do Brasileirão mostra que alguns dos times mais bem pagos não conseguiram transformar a vantagem financeira sobre seus adversários em supremacia técnica, ela deixa clara a dificuldade dos que estão na segunda metade do ranking televisivo de ficar entre os dez melhores do Brasileiro. Essa proeza foi conseguida apenas por Santos, dono da 13ª melhor receita relativa a 2013 e nono no Brasileirão 2014, e Atlético-PR, 18º na lista da TV e oitavo na competição.

Veja abaixo a lista com as receitas de TV registradas por 23 times em 2013 e suas classificações em 2014.

 

#uolbr_geraModulos(‘embed-infografico’,’/2014/tabela-ranking-1418150874435.vm’)