O Corinthians vence. Falta voltar a convencer

Leia o post original por Antero Greco

Duas derrotas seguidas e algumas baixas no elenco pesam, a gente compreende. O Corinthians precisava ganhar, depois de cair diante de Palmeiras e Grêmio. Conseguiu reagir, com 1 a 0 sobre o Joinville, na noite deste sábado, fora de casa. Falta agora convencer, mostrar que não jogou a toalha, como havia insinuado Tite depois dos 3 a 1 do meio de semana em Porto Alegre.

O Corinthians começou com a mesma formação do clássico com o Grêmio. Na avaliação de Tite, era uma forma de mostrar confiança no grupo. Pode ser. Por outro lado, não tinha muito como mexer, já que as alternativas no momento não são das mais animadoras.

No primeiro tempo, foi bem, esteve esperto, empurrou o Joinville para o próprio campo. Renato Augusto e Romero tiveram chances claras para marcar e garantir vantagem folgada antes do intervalo. Não foram felizes, ao contrário de Jadson, que fez um golaço em chute de fora da área.

A pressão diminuiu com esse gol. Porém, quando se esperava time combativo e persistente na etapa final, o que se viu foi o Corinthians dos últimos tempos: cadenciado, sem apetite para ampliar o resultado, mais na base da segurança do que da ousadia. A opção permitiu que o Joinville se animasse, a ponto de dar calor aos alvinegros e exigir trabalho de Cássio.

Tite fez mudanças de praxe, com Ralf no lugar de Renato Augusto, com Petros na vaga de Bruno Henrique e com Vagner Love na frente em substituição a Romero. Não tornaram a equipe mais brilhante. Ok que o argumento dos “três pontos” é válido, diante das circunstâncias. No entanto, se espera mais do Corinthians, e com razão, sobretudo quando enfrenta o lanterna.

Adilson Batista terá muito, mas muito trabalho, para colocar o Joinville nos eixos e evitar que se torne saco de pancadas na competição.